PUBLICIDADE
Topo

Caçador de Carros

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Novo Creta divide opiniões? Veja 5 carros polêmicos que viraram tendência

Hyundai Creta Platinum 2022 - Divulgação
Hyundai Creta Platinum 2022 Imagem: Divulgação
Conteúdo exclusivo para assinantes
Felipe Carvalho

Felipe Carvalho é administrador de empresas, consultor e primeiro "caçador de carros" profissional do país. Seu canal no YouTube dedicado a avaliações de achados automotivos tem mais de 100 mil inscritos. www.youtube.com/CarrosdoPortuga

Colunista do UOL

14/10/2021 04h00

O ser humano tende a ser conservador só naquilo que lhe convém. Quando algo está bom, agradável ou confortável, é natural que o desejo de mudança passe longe. Mas como nem sempre esses sentimentos são unânimes, inevitavelmente as mudanças acontecem.

Isso não é diferente no mundo automotivo. Alguns insistem na visão simplista de dizer que os carros são todos muito parecidos, mas basta olhar para a história e comprovar que estão em constante evolução.

O problema é que algumas mudanças são mais chocantes do que outras, principalmente as que afetam o desenho de um carro - e nem todos estão prontos para "digeri-las". Sempre que algo realmente novo é apresentado, os comentários são negativos em sua maioria. Curioso que são os mesmos comentaristas que reclamam que os veículos são parecidos entre si.

Sendo assim, parece ingrata a função dos desenhistas de carros, que dificilmente conseguem agradar esse público, por vezes conservador, por vezes sedento por mudanças.

Eis o novo Hyundai Creta para comprovar isso. O formato do conjunto óptico dianteiro e traseiro é diferente de tudo que vimos até então. O antigo Creta era bonito e harmônico, mas sofria com falta de personalidade. Com o visual polêmico de agora, tem personalidade de sobra - só resta saber se será bem aceito pelo público.

Pensando nisso, resgatei alguns exemplos de outras soluções polêmicas, chocantes e incompreendidas do passado, mas que depois foram seguidas e copiadas por outros modelos.

"Sobrancelhas" nos faróis

Nissan Juke - Divulgação - Divulgação
Nissan Juke
Imagem: Divulgação

Apresentado em 2010, o Nissan Juke chocou o mundo automotivo com suas enormes "sobrancelhas" acima dos faróis redondos. Parecia uma solução de design tão maluca quanto a do Fiat Multipla de 1998, mas diferente desse, conseguiu novos seguidores.

Em março de 2013, foi apresentado quase que ao mesmo tempo as novas gerações da Citroën C4 Picasso e do Jeep Cherokee, e lá estavam as sobrancelhas. E, com o tempo, outros foram aparecendo, como Fiat Toro, JAC T50, JAC T60 e o futuro Renault Kwid.

Faróis e lanternas redondas

Mercedes-Benz Classe E - Divulgação - Divulgação
Mercedes-Benz Classe E
Imagem: Divulgação

Como reinventar a roda? Faróis e lanternas redondas não são novidades, existem desde os primórdios dos automóveis. Mas de tempos em tempos voltam com novas propostas, que nem sempre são bem aceitas. Em 1995, a Mercedes-Benz apresentou o novo Classe E com enormes faróis redondos, de um jeito jamais visto anteriormente.

As opiniões estavam divididas, mas o conceito fez escola no próprio fabricante, que criou variações dessa solução nos anos seguintes em outros modelos, e também na Volkswagen, que popularizou a ideia no Polo de 2002. Até Kia Motors fez o mesmo, com o Opirus de 2003, modelo não tão conhecido do público, mas praticamente uma cópia do Mercedes-Benz Classe E.

Esse mesmo Classe E de 1995 também inovou nas lanternas, que mantinham formato tradicional, mas com desenhos redondos na parte interna, algo estranho nos anos 90, mas que foi copiado aos montes por quase todos fabricantes. Setas e luzes de ré quadradas definitivamente tinham ficado no passado.

Para-choques formando peça única com a carroceria

Audi A6 1997 - Divulgação - Divulgação
Audi A6 1997
Imagem: Divulgação

Até 1997, os para-choques eram peças visivelmente separadas do restante da carroceria. Desde os anos 80 já eram envolventes em sua maioria, mas ainda assim tinham vida própria. Até o revolucionário Audi A6 ser apresentado em 1997. Nele, para-choques e carroceria formavam uma única peça, pelo menos no visual.

É claro que continuavam separados na prática, mas cumpriam bem a ideia de parecer que não estavam ali. Me lembro bem quando vi a primeira vez e achei horrível, mas mal sabia eu que essa seria a solução adotada por todos no futuro. Hoje eu enxergo o A6 com outros olhos, mais acostumados com essa solução, que foi divisor de água nos desenhos dos carros modernos.

Grade "bocão"

Audi A6 2004 - Divulgação - Divulgação
Audi A6 2005
Imagem: Divulgação

Ninguém discorda que a Volkswagen é dos fabricantes mais conservadores com o desenho de seus carros. O mesmo não podemos dizer da sua marca de luxo, a Audi, que está sempre inovando e lançando moda.

Assim como os para-choques que citei acima, a marca das quatro argolas foi a primeira a apresentar grades além da altura dos faróis. Começaram de forma tímida com contornos cromados na grade superior e na pequena grade inferior do para-choque, que apenas sugeriam continuidade das linhas, até resolver junta-las de vez no Audi A6 de 2004, que teve toda sua parte central pintada de preto, sugerindo uma enorme grade.

Rapidamente outros modelos da marca receberam essa nova identidade visual, e não demorou muito para a ideia ser copiada ao redor do mundo. As Japonesas Mitsubishi e Lexus, também adotaram variações da grade "bocão" como identidade visual. Hoje, são vários os carros que ainda utilizam essa técnica, desde um simples Hyundai HB20 até um sofisticado BMW M3.

Lanternas na Coluna

Lumina APV - Carlos de Paula / Auto Esporte - Carlos de Paula / Auto Esporte
Lumina APV
Imagem: Carlos de Paula / Auto Esporte

O primeiro carro com lanternas nas colunas que tenho conhecimento foi a Chevrolet Lumina APV de 1990, junto com suas irmãs gêmeas Pontiac Trans Sport e Oldsmobile Silhouette.

Assim que as portas foram abertas para carros importados no comecinho dos anos 90, algumas dessas minivans da GM desembarcaram por aqui, e o impacto foi grande. Não nas vendas, já que sempre foram raras, mas sim no visual futurista, com destaque para as belas lanternas, que certamente não agradaram a todos.

Nos anos seguintes, muitos hatchs, peruas e minivans beberam dessa mesma fonte. A lista é interminável. Dos mais conhecidos do Brasil, Fiat Punto, Chevrolet Meriva, Ford Fiesta e Renault Megane Grand Tour são alguns exemplos.

Ainda sobre o Creta

Novo Creta - Divulgação - Divulgação
Hyundai Creta Platinum 2022
Imagem: Divulgação

Sou uma pessoa normal, como qualquer outra. Também torço o nariz para algumas soluções, mas confesso que já mudei de ideia várias vezes com o passar dos anos. O novo Hyundai Creta foi um desses que eu odiei em um primeiro momento, mas já estou me acostumando.

A traseira ficou ótima, depois de alguns retoques para o modelo fabricado aqui. Somente a frente que ainda preciso de mais um tempo para digerir. Pode ser que eu jamais consiga, e está tudo bem. O fato é que essas mudanças são necessárias de tempos em tempos. Como nos exemplos acima, pode ser que o Creta ainda inspire novos desenhos para que os carros continuem interessantes no futuro. Vamos aguardar.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL