PUBLICIDADE
Topo

Caçador de Carros

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Por que VW Fox se tornou o melhor negócio mesmo com os dias contados

Volkswagen Fox 1.6 Connect - Divulgação
Volkswagen Fox 1.6 Connect Imagem: Divulgação
Felipe Carvalho

Felipe Carvalho é administrador de empresas, consultor e primeiro "caçador de carros" profissional do país. Seu canal no YouTube dedicado a avaliações de achados automotivos tem mais de 100 mil inscritos. www.youtube.com/CarrosdoPortuga

Colunista do UOL

27/05/2021 04h00

Eu nunca pensei que fosse dizer isso, mas o Volkswagen Fox é o melhor negócio para se fazer no mercado de automóveis novos.

É claro que existem carros superiores, mas digo isso levando em conta a relação do quanto se cobra pelo que é entregue, a famosa relação custo-benefício. Nisso ele tem sido imbatível, basta dizer que é o "não 1.0" mais barato do mercado.

Me sinto contraditório em recomendar o Fox, pois lembro que peguei no pé do carrinho quando este foi lançado. O acabamento era sofrível nos primeiros anos e o motor 1.0 tinha dificuldade de vencer ladeiras em marcha-ré, assuntos polêmicos nas comunidades do Orkut do início dos anos 2000. O design também não era lá essas coisas, inclusive parecia um "João bobo" visto de trás.

Mas a Volkswagen foi melhorando o modelo aos poucos, que em seus melhores dias chegou a ter teto solar e controle de estabilidade como opcionais, além do motor 1.6 16v com transmissão manual de 6 marchas - conjunto que hoje equipa Polo e Virtus. Atualmente, ele nem é tão completo como já foi, mas, por pouco mais de R$ 62 mil na versão Connect, entrega até mais do que qualquer um pode imaginar.

Além do 'kit dignidade'

O indispensável "kit dignidade", composto por ar condicionado, direção assistida e vidros e travas elétricas, está presente.

Levando-se em conta que o motor é o conhecidíssimo 1.6 8v, esse pacotão já o colocaria como uma boa compra.

Mas a VW parece disposta a aposentar o modelo com todo o respeito que ele merece, pois foi bem além disso. A direção assistida é do tipo elétrica e há regulagem de altura e profundidade no volante. O banco também tem regulagem de altura, facilitando a vida dos motoristas das mais variadas estaturas.

O sistema de som conta com multimídia com espelhamento de celular e controles no volante. Além dos vidros e das travas elétricas, os retrovisores também são elétricos e contam com função tilt-down e repetidores de setas.

Calotas? Não, o Fox tem rodas de liga leve, faróis de neblina e sensores de estacionamento na parte externa. Para fechar o pacotão, controlador de velocidade, o popular piloto automático.

Pontos fracos?

Como eu conheço bem os meus leitores, sei que ainda assim farão reclamações de que o carro continua caro e que deveria custar menos. Porém, vamos ser realistas: não tem nada que consiga entregar algo parecido com isso por esse preço.

Vejamos os outros modelos da Volkswagen, Gol e Polo. O primeiro é oferecido por R$ 60 mil na versão 1.0 e R$ 67 mil na versão 1.6, com pacote de equipamentos bem inferior.

O Polo está ainda mais distante e pede R$ 66 mil na versão 1.0. Na Fiat, Uno 1.0 por R$ 58 mil, Argo 1.0 por R$ 62 mil e 1.3 por R$ 70 mil; na Hyundai, HB20 1.0 por R$ 61 mil; na Chevrolet, Joy é vendido por R$ 59 mil e Onix, por R$ 71 mil; na Peugeot, 208 por R$ 69 mil; na Renault, Sandero 1.0 por R$ 68 mil; na Honda, Fit por R$ 75 mil; e, na Toyota, Yaris 1.3 por R$ 81 mil. Nenhum desses modelos consegue ser tão superior ao Fox.

Está convencido que ele é o melhor negócio? Independentemente da sua opinião, os números de vendas não têm sido tão amigáveis com o Fox como eu estou sendo nessa coluna.

A linha 2022 já foi apresentada, mas é praticamente certo que o Fox está com os dias contados.

São vários os exemplos de modelos que chegaram ao fim da vida com pacotes interessantes de equipamentos por preços baixos, não é algo incomum. Porém, nem sempre isso se reflete em boas vendas. Segundo a Fenabrave, até abril desse ano, 7.340 unidades de Fox foram emplacadas, o que o coloca na 24ª posição do ranking geral. Como referência, o mais vendido no mesmo período foi o Onix, com 35.160 mil unidades emplacadas. No ano passado, ele foi ainda pior e fechou na longínqua 27ª posição.

Fica claro que a racionalidade passa longe no momento de decidir a compra de um carro.

Enquanto o Fox vai mal nas vendas, o VW T-Cross, que começa em R$ 104 mil, vai muito bem. É um veículo com dimensões um pouco maiores que as do Fox, conta com plataforma mais moderna, motor turbo e mais itens de segurança.

Mas são mais de R$ 40 mil reais de diferença! É muita coisa, não consigo enxergar nada que justifique isso. E, se formos considerar as versões com transmissão automática, que são as mais procuradas, a diferença sobe para mais de R$ 65 mil, ou seja: com o valor de um T-Cross automático, é possível comprar dois Fox! Faz sentido para você? Para mim, não.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL