PUBLICIDADE
Topo

Caçador de Carros

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Gasolina subiu? 5 carros econômicos, automáticos e que custam até R$ 50 mil

Felipe Carvalho

Felipe Carvalho é administrador de empresas, consultor e primeiro "caçador de carros" profissional do país. Seu canal no YouTube dedicado a avaliações de achados automotivos tem mais de 100 mil inscritos. www.youtube.com/CarrosdoPortuga

Colunista do UOL

25/02/2021 04h00

Nos últimos dias, muito se falou sobre a significativa alta nos preços dos combustíveis. Circularam fotos de vários postos espalhados pelo Brasil, e até parecia uma competição nas redes sociais para ver quem estava pagando mais caro pela gasolina.

Não pretendo entrar no mérito dos motivos dessa alta, área que eu não domino. Vou me ater ao fato de que os combustíveis estão sim, absurdamente caros, e o brasileiro tem todo o direito de se indignar com isso.

O que pretendo mesmo, como sempre procuro fazer por aqui, é contribuir com minha opinião na área que domino, que é o mercado de usados, que está repleto de carros interessantes por uma fração do preço dos zero km - que, assim como os combustíveis, estão cada vez mais absurdamente caros.

Inclusive, alguns especialistas falam no possível fim dos carros "populares", tema que abordei na semana passada por causa da saída de alguns dos modelos mais baratos, como Ford Ka, Fiat Uno, Toyota Etios e VW up!.

No cenário atual, os fabricantes estão mais interessados em vendas menores, porém mais rentáveis, como acontece nos carros mais caros, do que um bom volume de vendas, com baixa rentabilidade, como acontece nos veículos mais baratos.

Um dos sobreviventes mais baratos da atualidade é o Renault Kwid, que representa toda a simplicidade possível que se pode ter em um carro moderno. O mais barato deles, por quase R$ 42 mil, sequer tem ar-condicionado e direção assistida. Por esses equipamentos que costumo chamar de "kit dignidade", o comprador precisa desembolsar quase R$ 50 mil.

Mas convenhamos: quem precisa de carros "populares" tão caros no mercado de novos, se é possível comprar modelos bem melhores no de usados?

Na coluna dessa semana, separei alguns carros usados com transmissão automática, entre R$ 40 mil e R$ 50 mil, e que são reconhecidos por gastarem pouco combustível.

Toyota Etios

Toyota Etios Hatch 2018 - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Sim, ele deixará de ser vendido no Brasil, mas conforme escrevi na coluna da semana passada, o Toyota Etios ainda é uma boa opção no mercado de usados.

Quando foi lançado, apenas a transmissão manual estava disponível. Mas, para o modelo 2017, a Toyota passou a oferecer como opcional em todas as versões a ótima transmissão automática de 4 marchas, herdada dos antigos Corollas.

A escolha foi certeira, pois o Etios passou a atender o público que não abre mão do conforto desse tipo de câmbio, mas quer um carro pequeno e econômico.

No mais simples dos Etios, a versão X com motor 1.3, o desempenho é muito melhor do que qualquer carro com motor 1.0 sem turbo, e o consumo de combustível é bem moderado. Os preços começam nos R$ 40 mil nos modelos 2017 e chegam nos R$ 50 mil em modelos 2019.

Nissan March

Nissan March CVT 2017 - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Outro que está prestes a deixar de ser vendido no mercado de novos, mas ainda tem lenha para queimar no de usados. Assim como o Etios, passou a ter transmissão automática como opcional, no modelo 2017, mas somente nas versões mais caras, com o motor 1.6.

Até prefiro o March quando comparado com o Etios por ser esteticamente mais bonito e potente, bem equipado, e ter transmissão do tipo CVT. Porém, ele tende a desvalorizar mais com o passar dos anos, e isso pode pesar para alguns.

Fato é que o March é amigo do bolso do motorista na hora de abastecer, pois é um carro bem econômico. Os preços começam na faixa dos R$ 43 mil nos modelos 2017 e chegam nos R$ 50 mil nos 2019.

Hyundai HB20

Hyundai HB20 R-Spec 2016 - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Esse continua em linha, firme e forte entre os carros mais vendidos do Brasil. Desde o seu lançamento, teve transmissão automática como opcional nas versões com motor 1.6. Porém, somente depois dos modelos 2016 que o HB20 passou a ser eficiente com esse tipo de câmbio.

Até então, o antigo câmbio automático de 4 marchas dava fama de beberrão para o pequeno hatch. Com as 6 marchas adotadas no modelo 2016, o HB20 automático passou a ser uma boa escolha para os que precisam de um carro pequeno e econômico. Mais caro que Etios e March, os preços começam em R$ 44 mil nos modelos 2016, e vão até R$ 50 mil no modelo 2018.

Honda Fit

Honda Fit 2015 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Imagem: Murilo Góes/UOL

Pouco cito o Honda Fit nas minhas colunas, mas não é por não gostar do carro. Pelo contrário, eu sei, assim como praticamente todo o mundo, que esse carro é excelente. Só não entra muito nas minhas listas por ser caro, seja no mercado de novos ou no de usados.

Quando analiso o custo-benefício, o modelo deixa de ser atraente para mim, pois além de custar caro, entrega poucos equipamentos de conforto e conveniência. Mas, independentemente da minha opinião, o Fit sempre será um bom negócio, principalmente para quem valoriza robustez mecânica, baixo consumo de combustível e liquidez no mercado.

Para ficar coerente com os preços dos outros modelos citados nessa coluna, precisei descer alguns anos para considerar o Fit. O modelo 2014, último ano da 2ª geração, tem preços que começam nos R$ 40 mil. Quem quiser pular para a geração seguinte, 2015, precisará de um orçamento de R$ 50 mil.

Chevrolet Onix

Chevrolet Onix 2016 - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Campeão de vendas dos últimos anos, não faltam Chevrolet Onix no mercado de usados. Desde o seu lançamento, teve como opção a transmissão automática de 6 marchas nas versões como motor 1.4.

De todos presentes nessa lista, seria minha última escolha, mas ainda assim uma boa opção. Em termos de mercado, com cerca de R$ 40 mil, dá para considerar os modelos 2016. Já com R$ 50 mil dá para chegar no modelo 2018.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL