PUBLICIDADE
Topo

Caçador de Carros

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Ka, Uno, Etios e up!: quais carros que sairão de linha ainda valerão a pena

Marcos Camargo/UOL
Imagem: Marcos Camargo/UOL
Conteúdo exclusivo para assinantes
Felipe Carvalho

Felipe Carvalho é administrador de empresas, consultor e primeiro "caçador de carros" profissional do país. Seu canal no YouTube dedicado a avaliações de achados automotivos tem mais de 100 mil inscritos. www.youtube.com/CarrosdoPortuga

Colunista do UOL

18/02/2021 04h00

É bem provável que seja um consenso a opinião de que os carros são caros no Brasil. Um trabalhador comum precisa economizar por bons anos até conseguir acumular a quantia necessária para comprar o mais barato dos veículos vendidos por aqui.

Por outro lado, os fabricantes parecem sufocados com as vendas desses carros mais baratos e pouco - ou nada - rentáveis para eles.
Não é de hoje que escutamos ameaças de algumas montadoras, dispostas a sair do país ou de parar a linha de produção desses carros. Até pouco tempo atrás, não dava muita bola para isso, mas o presente momento em que vivemos mostra que eu estava errado.

A Ford, uma das marcas mais tradicionais do país, abriu mão de produzir carros por aqui. Com isso, o veterano e bem-sucedido Ford Ka deixou de ser vendido. No ano passado, o mesmo já tinha acontecido com o Ford Fiesta, que também teve uma trajetória de respeito no Brasil.

Nos últimos dias, surgiu a notícia de que a Toyota deixará de vender o Etios no mercado nacional. O modelo continuará em linha, mas apenas para exportação. O foco nesse ano parece ser o lançamento do Corolla Cross, produto que certamente trará mais rentabilidade para a empresa.

Algo parecido deve acontecer com a Fiat, que demonstrou desinteresse em continuar com o Uno, que já não vende como no passado. Em contrapartida, pretende investir em novos lançamentos, também de carros mais caros e, consequentemente, mais rentáveis.

Nos lados da Volkswagen, o up! está de saída. Nem mesmo a bizarra solução para não ter que instalar o terceiro apoio de cabeça no banco traseiro foi suficiente para mantê-lo em linha.

Em comum, todos são, ou eram, carros mais baratos e acessíveis, dentro da categoria de maior sucesso comercial das últimas décadas. Ou seja, por mais que deixem de ser vendidos, ainda veremos vários desses carros em nossas ruas por alguns anos.
Resta saber se no mercado de usados, o único disponível para eles, serão acolhidos e bem aceitos.

Ford Ka

Na semana em que a Ford anunciou o fechamento das fábricas, escrevi que não recomendaria mais nenhum modelo da marca para os meus clientes. Entendo que, num médio prazo, os modelos da oval azul estarão mortos no mercado de usados.

O Ford Ka pode até ter peças de reposição por um tempo, mas isso é pouco para um bem de uso de longo prazo, que o brasileiro costuma comprar já pensando na revenda futura. E digo mais: boa parte desses carros foram vendidos para frotistas nos últimos anos, que estão negligenciando a manutenção desses veículos.

Até mesmo no óleo lubrificante eles economizam, o que tem condenado esses pequenos motores de 3 cilindros, que precisam do óleo certo para lubrificar a correia dentada.

Não gosto do termo que vou usar, mas são futuras bombas, que não quero que estoure na minha mão, de algum cliente ou na sua, meu caro leitor.

Toyota Etios

Toyota Etios - 500 mil unidades em Sorocaba (SP) - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

O patinho feio da Toyota, aquele que em nada se parece com seus irmãos, é um carro que aprendi a gostar com o passar dos anos e ainda recomendo para os meus clientes.

É bem verdade que ele evoluiu bastante desde o seu lançamento. Motor, transmissão, acabamento, equipamentos de conforto e segurança foram alguns dos pontos que evoluíram consideravelmente. Só o polêmico design que pouco mudou, mas diante de tantas qualidades, até esqueço desse detalhe quando estou ao volante de um Etios.

Quanto a peças de reposição, possivelmente não será um problema, pois como já citei, o modelo continuará em linha na fábrica de Sorocaba (SP), mas somente para exportação. Ou seja, as peças continuarão em produção, abastecendo o mercado de reposição.

Além disso, o modelo é reconhecido pela simplicidade e robustez mecânica, fortes aliados para que aguente bem os próximos anos no mercado de usados.

Fiat Uno

Não é de hoje que o Fiat Uno esteve com os dias contados. Há uns 25 anos, sua aposentadoria era quase certa, logo após o lançamento do Palio. Curiosamente, o Palio acabou saindo de linha e o Uno continuou firme e forte, já em sua segunda geração.

Eu adoro o carrinho e tenho um carinho especial por ele, mas não posso deixar de dizer que não deverá ser um bom negócio no mercado de usados. Nos últimos anos, o Uno vinha sendo comercializado quase que exclusivamente para frotistas. São carros usados sem dó por seus "donos", e em pouco tempo estão bem deteriorados.

A fama do Uno com escada no teto, mais rápido que qualquer outro carro (uma brincadeira, obviamente), chegou até a diretoria da Fiat, que reconhece que o Uno é tido como um veículo de trabalho. Arrisco dizer que vão sumir do mercado de usados em alguns anos.

Volkswagen up!

O VW up! não teve o reconhecimento que merecia em nosso mercado. Moderno, tido como um dos mais seguros do segmento, nunca conseguiu fazer frente ao veterano Gol, um velho de guerra que ficarei surpreso se um dia sair de linha no Brasil. O up! já teve dias melhores, mas sempre foi caro.

Até o momento, é vendido em versão única, por assustadores R$ 60 mil. Para aqueles que compram carro por metro quadrado, jamais vão considerar um carro desses por esse valor.

Mas não acho que o mercado de usados será tão cruel com o up!. A atenção do comprador deve ser com o histórico de manutenção do carro, principalmente quando equipado com o motor turbo, que é o caso dessa última versão disponibilizada para venda. Por ser um veículo extremamente econômico no consumo de combustível, tem muitos adeptos no mercado de usados.