PUBLICIDADE
Topo

Carros para crise: 4 modelos bons e baratos para tempos de dificuldade

Valente e com baixo custo de manutenção, Corsa é boa pedida entre usados - Divulgação
Valente e com baixo custo de manutenção, Corsa é boa pedida entre usados
Imagem: Divulgação
Felipe Carvalho

Felipe Carvalho é administrador de empresas, consultor e primeiro "caçador de carros" profissional do país. Seu canal no YouTube dedicado a avaliações de achados automotivos tem mais de 100 mil inscritos. www.youtube.com/CarrosdoPortuga

Colunista do UOL

09/04/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Modelos como Palio Fire e Fiesta Rocam dão pouca manutenção e andam bem
  • Linha Corsa ficou famosa pelo baixo custo de reparo e nível de conforto
  • Gol com motor AP ficou famoso pela robustez

Quase todo mundo já precisou, em algum momento da vida, dar alguns passos para trás e recomeçar quase que do zero. Claro que alguns afortunados não saibam o que é viver momentos difíceis, mas minha experiência de vida me leva a crer que muitos leitores vão se identificar com essa coluna.

E o momento que estamos vivendo não poderia ser mais oportuno para falar sobre isso. A atual crise econômica, impulsionada pela pandemia de coronavírus, tem tudo para ser uma das piores da nossa história e trazer tombo inevitável para muitos. Mas vamos passar por ela, tenho certeza disso.

E uma das coisas que podem ajudar nesse momento, para quem necessariamente precisa ter um carro, é apostar em carros mais simples, usados que costumam ter bons preços, com manutenção barata e que dificilmente vão te deixar na mão.

Conto uma experiência pessoal como exemplo. Em 2015, meu negócio como Caçador de Carros estava entrando em seu terceiro ano e as coisas não iam bem. O faturamento era baixo e eu estava com a corda no pescoço.

Foi quando meu sogro resolveu presentear minha esposa com um Corsa Wagon 99, que era dele. Não pensei duas vezes em me desfazer do ótimo Honda Civic que tinha naquela ocasião para apostar na perua da GM como único carro - e poder injetar o dinheiro na empresa.

Foi um grande retrocesso. Saímos de um sedã médio automático para um Corsa pelado, sem nenhum opcional, mas com um delicioso motor 1.6. Sim, delicioso mesmo, pois o encarei como o melhor que eu poderia ter naquele momento. Voltei às raízes de guiar um carro manual todos os dias, aliviei as finanças e consegui me reerguer.

O Corsinha se foi, as coisas melhoraram e hoje estou aqui, esperando para ver o que vai acontecer com o mundo. Será que precisarei dar novamente alguns passos para trás? Se isso acontecer, segue a lista de carros baratos, simples e robustos que eu consideraria para enfrentar a crise comigo.

Chevrolet Corsa

Chevrolet Corsa - Divulgação - Divulgação
Corsa foi um dos carros mais importantes da Chevrolet nos anos 90
Imagem: Divulgação

Se me serviu bem no passado, por que não me atenderia agora? O Corsa foi um divisor de águas na nossa indústria. Não foi por acaso que vendeu aos montes, tem a cara do nosso Brasilzão. Encara ruas ruins, falta de manutenção, combustível ruim... E, quando pede oficina, só faz cócegas no bolso do dono.

É barato manter um Corsa, seja ele hatch, sedã ou perua. As ofertas começam nos R$ 5 mil, mas são arriscadas. Certamente são carros ruins, com muita coisa para ser feito. É mais provável que consiga um bom negócio na casa dos R$ 10 mil, justamente o preço que vendi a guerreira Corsa Wagon.

Fiat Palio com motor Fire

Fiat Palio Fire - Divulgação - Divulgação
Palio Fire era famoso pela robustez
Imagem: Divulgação

Minha experiência com os Fiats é muito boa. O primeiro carro que tive foi um Prêmio, com o qual fiquei bons sete anos e vendi com mais de 200 mil km. Portanto, sei que os carros dessa marca italiana aguentam o tranco e não levam desaforo para casa. Um Palio, ou qualquer outro da família como o Siena ou a Palio Weekend, são perfeitos para quem quer ir do ponto A ao B com o menor custo possível.

Lembro do Siena 1.0 que vendi de um cliente, que estava com alta quilometragem e muitos comprovantes de manutenção. O mais caro tinha sido uma revisão geral, que envolveu troca de correia dentada, embreagem, freios e suspensão.

Para minha surpresa, a soma de tudo não passava de R$ 800. Quem tem carro zero-quilômetro sabe que muitas vezes as concessionárias cobram isso na revisão de 10 mil km, só para trocar óleo.

Ford Fiesta com motor Zetec Rocam

Ford Fiesta Rocam - Divulgação - Divulgação
Fiesta usou motores Zetec Rocam em duas gerações
Imagem: Divulgação

Outro que tenho boas lembranças. Minha mãe teve um 2008 por um bom tempo e nos atendeu muito bem. Destaco duas vantagens em relação aos outros citados aqui: espaço interno e corrente de comando. Pois é, o Fiesta é um carro relativamente espaçoso, e o fato de ter corrente em vez de correia dentada ajuda no custo da manutenção, já que não exige troca.

Ele também é bom de curva. Lembro que participei de um torneio de regularidade no circuito de Interlagos com esse Fiesta da minha mãe. É isso mesmo que você leu. Coloquei o lento Fiesta 1.0 dela para acelerar em Interlagos. Faltou motor, mas sobrou o bom acerto da suspensão nas curvas.

Volkswagen Gol com motor AP

Volkswagen Gol 2002 - Divulgação - Divulgação
Gol Geração III ainda usava família de motores AP
Imagem: Divulgação

Cresci vendo esse VW goleando a concorrência, e duvidava que um dia saísse do trono. Entretanto, ninguém é líder por acaso. Gols, Paratis e Voyages são como tanques de guerra que cabem em uma vaga de estacionamento de mercado.

Em especial os com o famoso motor AP, ou Apezão para os íntimos. São robustos, simples e baratos. Qualquer mecânico sabe mexer em um AP, até porque são grandes as chances dele ter aprendido sobre mecânica em um desses carros.

Se é tão bom, por que é o último da lista? Apesar de ser grande o respeito que tenho pelo Gol, não o admiro tanto quanto os demais. Optaria por um dos três acima, mas não fecharia os olhos para um bom Gol que aparecesse na minha frente.

Para finalizar, recomendo que o leitor que tiver que passar por isso abra mão de qualquer conforto. Se o carro possuir direção hidráulica e ar-condicionado, ótimo. Mas não descarte os que não têm. Às vezes, a melhor opção é aquela mais simples, como foi a Corsa Wagon comigo.

E lembre-se: crises são passageiras. Qualquer um desses carros acima conseguirá te servir com dignidade e preservará sua saúde financeira.