Topo

Coluna

Caçador de Carros


Caçador de carros: exposição em SP mostra a evolução dos manuais de carros

Mostra no MIAU tem mais de 200 manuais de carros de várias épocas - Felipe Carvalho/UOL
Mostra no MIAU tem mais de 200 manuais de carros de várias épocas
Imagem: Felipe Carvalho/UOL
Felipe Carvalho

Felipe Carvalho é administrador de empresas, consultor e primeiro "caçador de carros" profissional do país. Seu canal no YouTube dedicado a avaliações de achados automotivos tem mais de 100 mil inscritos. www.youtube.com/CarrosdoPortuga

Colaboração para o UOL, de São Paulo (SP)

02/05/2019 07h00

Resumo da notícia

  • Acervo no MIAU (Museu da Imprensa Automotiva) tem mais de 200 exemplares
  • Manuais têm informações inusitadas sobre carros de várias épocas
  • Há até um manual de DeLorean, o carro de "De Volta para o Futuro"

Para aqueles que colocam a mão na massa, não há nada melhor do que um bom manual de instruções para dar norte e facilitar a montagem ou manutenção de algo.

Quando eu era criança, uma das coisas que eu mais gostava de fazer era montar Legos. A frente da caixa apresentava o produto pronto, mas aquele resultado só era alcançado com a ajuda do bom e velho manual, que mostrava o delicioso passo a passo da montagem de cada uma das peças. Depois de algumas páginas, lá estava o brinquedo em sua forma funcional.

Depois disso, qualquer produto que tivesse um manual, eu fazia questão de ler para aprender novas funções. Foi assim que eu era o único da casa que sabia operar direito o "Picture in Picture" da nossa velha Phillips de 33 polegadas. Nem os celulares que todos já nascem sabendo mexer, passam despercebidos por mim. Se hoje eu viro o pulso duas vezes para acionar a câmera ou chacoalho duas vezes para acionar a lanterna, é graças ao valioso manual que não está ali por acaso.

O caso mais recente é de uma penteadeira que compramos para minha filha. A montagem seria paga à parte, mas assim que vi o belo manual de oito páginas, me recusei a contratar um profissional que me privaria das boas horas de diversão que eu teria pela frente.

Já no nosso querido mundo dos carros, sempre que meu pai ou mãe chegavam com um carro novo, eu fazia questão de gabaritar o manual e ensinar para eles aquelas funções escondidas, como o botão no miolo da ignição dos Fiats, que acionam as luzes de posição sem precisar deixar a chave no contato. Ou então a regulagem da intermitência dos limpadores de para-brisa do Tipo, que até hoje eu acho que minha mãe não sabia usar direito.

Já no Siena, descobri no manual que era possível deixar os faróis ligados por um tempo, mesmo depois de ter trancado o carro. Na Corsa Wagon, o encosto do banco traseiro regula a inclinação, para ganhar um pouco mais de espaço de bagagem. Quase ninguém sabe disso, mas está lá no manual essa informação.

Recomendação de fábrica bastante inusitada no manual do Ford Corcel - Felipe Carvalho/UOL
Recomendação de fábrica bastante inusitada no manual do Ford Corcel
Imagem: Felipe Carvalho/UOL

Pois é, os manuais estão recheados de informações interessantes que a grande maioria das pessoas não se atentam. Com a popularização da internet e das redes sociais, o que mais se vê em grupos de carros são pessoas pedindo ajuda em coisas simples que o manual pode responder. Ajustar as horas do relógio, operar o computador de bordo ou entender uma luz que está acesa no painel já é motivo para pedia ajuda de alguém.

Com isso, sempre me pareceu que eu era um caso a parte de alguém que gosta de ler manuais. Foi quando o MIAU (Museu da Imprensa Automotiva) abriu as portas no último dia 19 para uma exposição de manuais de carros e eu me senti incluído. Então existem pessoas como eu? Que legal.

Mais de 200 manuais de tudo quanto é tipo de carro estão expostos por lá, e o mais legal é que podem ser consultados, um a um. Não dá para ir com pressa e nem fazer aquela visitinha de meia hora. Adianto que os entusiastas devem reservar uma boa parte do dia para isso, tamanha a riqueza de detalhes e informações que podem ser explorados.

Só com calma você vai descobrir que no manual do primeiro Corcel com 5 marchas, o fabricante indicava que para uma condução mais econômica, era recomendado passar de terceira para quinta marcha direto, deixando a quarta apenas para retomadas de velocidade. E que tal se deparar com o manual de um Sentra dos anos 90, que poderia vir com painel digital?

Sabe o DeLorean, aquele carro maravilhoso do filme "De Volta Para o Futuro"? Um dos visitantes foi com um desses nesse dia, inclusive emprestou o manual do carro para exposição. Que privilégio ter contato com esse importante clássico mundial.

Tem até manual do DeLorean na exposição do MIAU - Felipe Carvalho/UOL
Tem até manual do DeLorean na exposição do MIAU
Imagem: Felipe Carvalho/UOL

Tem também manual de um Uno italiano, que além de obviamente estar escrito em italiano, mostra diferenças para o nosso, como a suspensão traseira por eixo de torção e o estepe dentro do porta-malas. Mas algo que "bugou" o meu cérebro foi o manual de um Chevette e de uma Chevy 500, ambos com símbolo GMC na grade e o aviso "Bienvenido a la familia Renault". Curioso? Você vai ter que ir lá para descobrir esse mistério.

Claro que eu não poderia deixar de procurar informações do Nissan Maxima. Eu tenho o manual do meu, mas queria saber se tinha algo diferente. E tem. Encontrei pelo menos dois manuais de gerações antigas do Maxima, algo que para mim, é muito legal.
Já na parte de cima do museu, tem um rico acervo de diversas revistas e materiais de imprensa. Encontrei algumas coisas do Maxima que prontamente foram registradas pela câmera do meu celular. Onde mais eu poderia encontrar essas preciosidades?

Porém, ao que tudo indica, os manuais físicos, esses de papel que estamos acostumados a ver, estão sendo substituídos pelos virtuais. Não é de hoje que modelos da BMW, por exemplo, informam tudo na tela da central multimídia. E isso está chegando nos carros mais baratos, como alguns modelos da VW, que parece ter dado atenção para aqueles que citei, que não sabem nem o que fazer quando acende uma luz no painel. Agora, basta tirar uma foto da anomalia que o aplicativo te informa o que está acontecendo e quais as medidas tomar para a solução do problema. É uma tendência irreversível, que inclusive poupa a natureza e o bolso nos fabricantes. Pessoalmente, ainda não me familiarizei com isso.

Para fechar com chave de ouro, tive o privilégio de conhecer, dias depois dessa exposição, um raro Fiat de 1927. E lá estava o manual, conservadíssimo, com informações técnicas como o mapa do sistema hidráulico, algo impensável de se ver num carro atual.

Convido o leitor, apaixonado por manuais, a deixar nos comentários algo curioso que aprendeu com algum manual.