PUBLICIDADE
Topo

Benê Gomes

Com visual simpático, JAC E-JS1 ajuda a reduzir receio de carro 100% elétrico

só para assinantes
Benê Gomes

Jornalista e produtor de TV, desde 2001 atua como profissional especializado no segmento automotivo. Assina o boletim diário Sexta Marcha, da Rádio Transcontinental FM de SP, dirige e apresenta o_ _Programa Momento Vox – BAND SP. É diretor da Onze Produções, produtora de vídeo e conteúdo digital, e é o idealizador do Programa Auto+, onde atuou por 15 anos

Colunista do UOL

26/06/2022 04h00

Os automóveis eletrificados seguem ganhando espaço no Brasil e, aos poucos, deixam de ser bichos estranhos em nossas ruas. Um processo iniciado com a chegada dos híbridos, seguido pelos 100% elétricos premium - com seus preços lá em cima - e que mais recentemente passou a contar com modelos menores e um pouquinho mais acessíveis.

É o caso do JAC E-JS1, subcompacto 100% elétrico que tem até uma versão com proposta aventureira, a EXT, de Extreme. Caso não tenha dado atenção, esse é o carro elétrico mais vendido da JAC no Brasil e mais: é o terceiro 100% elétrico mais vendido no país em 2022.

No primeiro olhar para o desenho do E-JS1, é fácil notar a semelhança com VW up!, o que não é uma surpresa, afinal, esse modelo é fruto da parceria entre VW e a marca chinesa para a produção de carros 100% elétricos na China. Tem 3,65 metros de comprimento, 1,67 de largura, 1,59 de altura e um pequeno entre-eixos de 2,39 metros.

No Brasil, é oferecido em duas versões, uma com proposta urbana, e outra com visual e certo compromisso com trechos de terra de verdade. Para garantir isso, a JAC trocou molas, amortecedores e aplicou até pneus de uso misto nas rodas de liga aro 14, detalhes que deixaram o JS1 EXT um pouco mais alto em relação à versão normal.

Traz faróis com iluminação em LED com DRL integrado, luz de neblina, teto, retrovisores e tampa do porta-malas com acabamento em preto, o que fecha um visual equilibrado e agradável para o carrinho.

E-JS1 - Matheus Simanovicius - Matheus Simanovicius
Faróis de led com DRL integrado
Imagem: Matheus Simanovicius

Por dentro, surpresa positiva com a qualidade do acabamento e o clima pop e tecnológico, o que tem tudo a ver com um carro com propulsão elétrica. O painel tem desenho bonito, texturas diferentes, detalhes na mesma cor da carroceria e chama a atenção com duas telas digitais: uma do multimídia de 10,25 polegadas, e outra do painel de instrumentos de 6 polegadas.

Além disso, não há nenhum botão no painel, outro detalhe que reforça o arrojo do desenho interno. Todos os controles estão reunidos na tela do multimídia, até o do ar-condicionado automático digital. Para mexer no volume do áudio, por exemplo, só tem um botão no volante multifuncional.

Complementa a proposta o console central elevado, onde oferece espaços para garrafas e objetos, mais os botões de partida e do freio de estacionamento eletrônico.

E- JS1 - Matheus Simanovicius - Matheus Simanovicius
Botão de partida e do freio de estacionamento eletrônico no console central
Imagem: Matheus Simanovicius

Atrás, não tem mágica. Como é um subcompacto com entre-eixos modesto, tem espaço para três passageiros, mas recebe melhor duas pessoas no banco traseiro e ainda com certa limitação se forem muito altos.

Modesto também é o porta-malas, de apenas 121 litros de capacidade; uma limitação que pode ser resolvida com o rebatimento dos encostos dos bancos. Já o motorista tem boa ergonomia para a condução, mas o volante só tem juste de altura. Traz facilidades para as manobras com a câmera de ré e o sensor de estacionamento traseiro.

E-JS1 - Matheus Simanovicius - Matheus Simanovicius
Espaço reduzido para três pessoas no banco traseiro
Imagem: Matheus Simanovicius

Desmistificando a rotina com um carro 100% elétrico

O E-JS1 é um carro gostoso de guiar e consegue promover uma boa experiência com um modelo 100% elétrico. No caso dele, o acerto de suspensão lembra bastante o do VW up! e, além do natural bom silêncio a bordo oferecido por um modelo com propulsão elétrica, o JS1 é bem silencioso também pelo eficiente isolamento acústico.

Na versão EXT, isso é quebrado um pouco, principalmente na estrada, pelo ruído dos pneus de uso misto. Mas, no geral, é um carro firme, seguro e muito confortável. E indo além, oferece aquela satisfação de dirigir um carro elétrico, com bom torque - de 15,3 Kgfm - disponível o tempo todo, com muita agilidade nas arrancadas.

Mesmo com potência não muito forte, são 62 cv, também não desaponta na estrada. Mas aqui, há uma ressalva: o JS1 tem velocidade limitada a 110 km/h. Uma medida, certamente, para ajudar na autonomia do carro e evitar que o motorista use toda a carga da bateria muito rápido.

Isso significa que é preciso atenção na rodovia para não insistir em andar na pista da esquerda por muito tempo. Agora, pensando que no Brasil a velocidade máxima das rodovias é de 120 km/h, essa não deve ser uma tarefa tão difícil assim.

E-JS1 - Matheus Simanovicius - Matheus Simanovicius
Painel de instrumentos digital e colorido
Imagem: Matheus Simanovicius

Usando o JS1 na rotina, a experiência pode ser muito positiva e sem preocupação exagerada com autonomia ou recarga, mesmo para quem não tem um carregador rápido à mão.

Para quem precisa de transporte diário até o trabalho e acaba andando no máximo 50 km por dia, por exemplo, dá até para passar a semana com apenas uma carga de bateria, já que o E-JS1 tem autonomia de 302 km. E, importante, gastando bem menos quando comparado com um modelo a combustão. A JAC estima o custo de consumo de energia em R$ 5,34 para cada 100 km (base SP), o que resulta em R$ 16,02 a cada recarga completa.

No meu caso, depois de utilizar o carro durante todo o dia, consegui fazer a recarga total entre entre 12 e 16 horas, sempre utilizando uma tomada simples de 110V. E nesse ponto, vale outra ressalva: a questão é lembrar do hábito que já temos com o smartphone. Ou seja, em todas as paradas possíveis, é preciso lembrar de colocar o carro para carregar e, no final do dia, ao chegar em casa, plugar logo o carregador na tomada.

Segundo dados fornecidos pela JAC, em eletropostos de carga rápida, é possível fazer a recarga total em 1h20; já com carregador portátil em uma tomada comum residencial, o processo leva 14h30. Outro recurso disponível no modelo é o sistema de regeneração, o i-pedal, que pode ser acionado por um botão no console central.

Ele entra em ação reduzindo a velocidade do carro para reaproveitar a energia cinética a cada vez que o motorista tira o pé do acelerador. Segundo a marca, esse recurso pode elevar autonomia em até 20%.

E-JS1 - Matheus Simanovicius - Matheus Simanovicius
E-JS1 vem com carregador adaptado para tomada residencial
Imagem: Matheus Simanovicius

É por todas essas características que o JAC E-JS1 é o terceiro 100% elétrico mais vendido no Brasil nesses primeiros cinco meses de 2022. O preço é alto sim, como todos dessa categoria, no entanto, vale considerar o papel importante que ele vem cumprindo também, ajudando a popularizar a tecnologia e mostrar que o elétrico pode ser viável por aqui também.

E pensando que o líder de vendas entre os 100% elétricos é um modelo da Volvo e com preço na faixa dos 400 mil reais, já dá para olhar com mais simpatia ainda para esse pequeno da JAC, concorda?

Preço JAC E-JS1: R$ 174.900