PUBLICIDADE
Topo

Benê Gomes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

VW T-Cross 2022 atualiza conteúdo para segurar liderança

Conteúdo exclusivo para assinantes
Benê Gomes

Jornalista e produtor de TV, desde 2001 atua como profissional especializado no segmento automotivo. Assina o boletim diário Sexta Marcha, da Rádio Transcontinental FM de SP, dirige e apresenta o_ _Programa Momento Vox – BAND SP. É diretor da Onze Produções, produtora de vídeo e conteúdo digital, e é o idealizador do Programa Auto+, onde atuou por 15 anos

Colunista do UOL

12/06/2022 04h00

Hoje volto com outro SUV compacto, o VW T-Cross. Caso não lembre, da boa turma desse segmento, ele não foi o primeiro a chegar. Aliás, chegou bem depois da maioria, em 2019, com visual mais sóbrio - característica conhecida dos modelos VW - mas bem servido com seus dois motores turbinados e bastante conectividade. A receita foi acertada, pois praticamente não mudou até aqui. A linha 2022, por exemplo, no visual, a maior novidade é o novo logo já apresentado em outros modelos, e que foi aplicado na grade dianteira e tampa do porta-malas.

VW T-Cross Confortline - Matheus Simanovicius - Matheus Simanovicius
Novo logo VW estreia no T-Cross 2022
Imagem: Matheus Simanovicius

Interessante foi a atualização de equipamentos, com a inclusão de itens já oferecidos no modelo Nivus. É o caso do volante multifuncional com o novo logo no centro, o sistema start-stop, que desliga e liga o motor em paradas no trânsito para ajudar na economia de combustível e na redução de emissões. E, a partir da Confortline, versão que utilizei para esta avaliação, o T-Cross agregou o carregador de celular por indução. No mais, desenho interno também pesa para o clima discretão, mas o acabamento é bem cuidado, apesar da predominância de superfícies plásticas. Tem ar-condicionado automático digital com saídas de ar traseiras, entradas USB do tipo C no painel central e para os passageiros do banco de trás e, quebrando o clima pouco chamativo, a partir da versão Confortline, oferece o Active Info Display. Esse é um ponto forte e outra característica positiva dos recentes modelos VW, que praticamente não contam com botões físicos. O painel de instrumentos é digital configurável com tela colorida de 10,25 polegadas, a central multimídia VW Play tem uma chamativa tela de 10,01 polegadas com acionamento exclusivamente por toque. É nela que estão todos os comandos de conectividade e das configurações do carro. E no T-Cross Confortline dá pra levar ainda o teto solar panorâmico com o pacote opcional Sky View.

VW T-Cross Confortline - Matheus Simanovicius - Matheus Simanovicius
T-Cross mantém estilo mais sóbrio que faz sucesso
Imagem: Matheus Simanovicius

Depois, o que já era ponto forte aqui do T-Cross, continua absolutamente igual: o pacote de segurança. Desde a versão Sense, vem equipado com os controles eletrônicos de tração e estabilidade e assistente de partida em rampa, para dar alguns exemplos. Já a partir da versão 200 TSi, traz detector de fadiga, sensor de pressão de pneus, frenagem automática de emergência e o ACC - controle adaptativo de velocidade - recurso muito eficiente, importante numa viagem longa e, mais ainda, no trânsito pesado da cidade. Por essas e outras, não custa lembrar, o T-Cross alcançou nota máxima no teste de impacto do Latin NCAP

Desenho sóbrio, porém, fiel ao estilo SUV

Como o T-Cross tem linhas mais quadradas e sóbrias, como falei antes, isso acaba reforçando uma característica que interessa a quem procura esse tipo de carro. Mesmo desenvolvido para andar na cidade e no asfalto, sua proposta visual é bastante fiel ao estilo original de um SUV, sem muitas firulas do lado de fora, boa altura e entre-eixos eficiente para garantir também conforto aos passageiros do banco traseiro. Ele só sai perdendo na questão do porta-malas, que é pequeno para o tamanho dele, com 373 litros. Quer dizer, não é tão pequeno assim, mas perde para maioria dos seus concorrentes diretos. E para ser justo, foi um prejuízo para compensar o bom espaço interno.

Em compensação, pra quem tem a oportunidade assumir o volante do T-Cross, certamente vai ficar feliz com o desempenho dele. Mesmo na versão Confortline, que só oferece o motor menor - 1.0 TSi turbo flex - a potência de 128 cavalos e o torque de 20,4 kgfm são suficientes para fazer do T-Cross um modelo com personalidade esperta, que responde rápido aos comando do acelerador. O bom acerto da transmissão automática de seis velocidades garante o aproveitamento do torque disponível em baixas rotações. Ou seja, o T-Cross 1.0 turbo flex é bom de retomada - acelera de 0 a 100 Km/h em 10,4 segundos com etanol - e te deixa seguro quando precisa ganhar velocidade rápido. E o motorista que valoriza uma condução eficiente e deixa motor e transmissão trabalharem nas faixas de rotação ideais, em especial na estrada, consegue sorrir também com os números de consumo: 11,1 Km/l na cidade e 13,4 km/l na estrada (com gasolina no tanque).

VW T-Cross Confortline - Matheus Simanovicius - Matheus Simanovicius
Versão Confortline é sempre equipada com motor 1.0 TSi de 128 cv
Imagem: Matheus Simanovicius

Fechando a conta do T-Cross, falamos de SUV compacto com muitas características positivas, mas que recebe críticas também. Muitos não gostam do visual sóbrio, outros tantos reclamam do excesso de plástico no acabamento interno e, naturalmente, do preço alto. Mas esse é um ponto, como sempre comento, que não é exclusividade de nenhum modelo vendido no Brasil atualmente. Na linha 2022, com os ajustes pontuais de conteúdo, ganhou reforço importante para se manter bem nas vendas. O que vem acontecendo neste ano com a liderança um tanto folgada do segmento dos SUVs compactos, situação pode seguir assim. Até porque, uma mudança radical para o T-Cross, só deve acontecer na virada da linha 2023 para 2024.

Preço: VW T-Cross 200 TSi: R$ 149.670,00