PUBLICIDADE
Topo

Benê Gomes

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Chevrolet Tracker 2022 segue como boa opção mesmo com atualização discreta

Conteúdo exclusivo para assinantes
Benê Gomes

Jornalista e produtor de TV, desde 2001 atua como profissional especializado no segmento automotivo. Assina o boletim diário Sexta Marcha, da Rádio Transcontinental FM de SP, dirige e apresenta o_ _Programa Momento Vox – BAND SP. É diretor da Onze Produções, produtora de vídeo e conteúdo digital, e é o idealizador do Programa Auto+, onde atuou por 15 anos

Colunista do UOL

10/10/2021 04h00

O Chevrolet Tracker já completou um ano de vida e recentemente ultrapassou as 100 mil unidades produzidas no Brasil - número expressivo, ainda mais neste período de tanta dificuldade para o setor automotivo. Pois nesse embalo a linha 2022 chegou às concessionárias praticamente igual, mas ainda assim com alguma história para contar.

Esta nova geração do Tracker vale uma repassada. Chegou no ano passado montada sobre uma nova plataforma considerada global pela Chevrolet, o que permitiu, por exemplo, tornar o SUV mais bonito, com um desenho devidamente atualizado.

Gosto da dianteira com os vincos no capô, os faróis espichados e um para-choque com desenho provocativo e que carrega na lateral de baixo a luz de direção. A traseira também ficou mais elegante com as lanternas na horizontal invadindo a tampa do porta-malas.

E é na traseira que o Tracker traz duas pequenas alterações da linha 2022: o botão de abertura da tampa do porta-malas agora fica embutido na parte inferior e, esse um detalhe para os mais atentos, a luz de neblina, que ficava no meio do para-choque, foi eliminada.

Outro ponto bem importante: graças ao uso da nova plataforma foi a possibilidade de equipar o Tracker com alguns recursos de ponta, como aqueles que gosto sempre de destacar quando estão presentes em um carro desse porte.

É o caso do pacote de segurança que reúne alerta de colisão com frenagem automática de emergência e alerta de ponto cego, ou o sistema de vetorização de torque - que atua no sistema de freio em curvas para garantir que o carro não saia da trajetória - e até o bem-vindo Park Asssit, assistente automático de estacionamento.

Certamente muitos vão lembrar e comentar que o Tracker ainda não traz freios a disco nas rodas traseiras, algo que impacta sim na capacidade de frenagem, principalmente quando você precisa parar o carro rápido numa situação de emergência. Agora fica claro que essa é uma estratégia da marca para o esse produto, uma escolha mesmo, já que há uma dose de compensação com o número de airbags, seis no total.

Depois tem outro destaque da versão Premier, a utilizada nesta avaliação, o motor turbo 1.2 de 133 cavalos de potência e 21,4 kgfm de torque, que trabalha bem afinado com a transmissão automática de seis velocidades. Um conjunto que joga a favor do visual provocativo do Tracker, entregando um toque de esportividade sim, pois deixa o SUV bem esperto nas arrancadas e ligeiro na estrada. Para os fãs dessa esportividade, só fica devendo mesmo uma opção de trocas manuais no volante.

Espelhamento de smartphone sem cabo é novidade

Dentro, tudo igual e com o mesmo cuidado no acabamento geral e na quantidade de plástico utilizado. Outra característica sempre lembrada é a proximidade com a família Onix quando observamos o painel de instrumentos, o painel central e o multimídia.

Aliás, é no sistema multimídia que está a maior novidade da linha 2022, que agora permite espelhar o smartphone sem utilização de cabo. Lembrando que, na versão Premier, o Tracker disponibiliza internet 4G a bordo e os passageiros podem utilizar a rede wi-fi.

No mais, o Tracker segue firme e forte como um dos bons representantes do segmento dos SUVs compactos, um dos mais importantes do mercado nacional e que não para de crescer.

Em 2020, o Tracker fechou o ano entre os três mais vendidos e, neste momento, confirma sua retomada no mercado, com 3.936 unidades comercializadas em setembro passado. Ou seja, voltou ao patamar dos 4 mil carros vendidos por mês, média registrada em 2020 e que vinha mantendo neste ano até junho, quando teve a produção interrompida pela falta de semicondutores.

Preço Chevrolet Tracker 1.2 Turbo Premier: R$ 141.790,00

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL