PUBLICIDADE
Topo

Benê Gomes

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Argo Trekking mantém Fiat bem na fita como precursora dos aventureiros

Benê Gomes

Jornalista e produtor de TV, desde 2001 atua como profissional especializado no segmento automotivo. Assina o boletim diário Sexta Marcha, da Rádio Transcontinental FM de SP, dirige e apresenta o_ _Programa Momento Vox – BAND SP. É diretor da Onze Produções, produtora de vídeo e conteúdo digital, e é o idealizador do Programa Auto+, onde atuou por 15 anos

Colunista do UOL

25/04/2021 04h00

Quem procura um automóvel do gênero aventureiro no Brasil sabe que, querendo ou não, em algum momento acabará caindo nos braços da Fiat, que tem longo histórico com essa proposta.

Para quem não lembra ou é muito jovem para lembrar, falamos de um estilo praticamente inventado por ela em nosso mercado, quando lançou a perua Palio Weekend Adventure, isso no fim dos anos 90. Não por acaso, segue atuante nesse segmento e bem representada pelo Argo Trekking.

Na virada de linha, apresentada no ano passado, o Argo Trekking ganhou pequenos ajustes do lado de fora, onde a maior novidade é o repaginado logotipo da Fiat, que estreou na nova Strada. Ele agora vem estampado na grade dianteira e na cor preta.

Mudaram também adesivos aplicados no capô e nas laterais da carroceria, itens que fazem parte do pacotão visual que conta ainda com teto, rack, retrovisores e rodas aro 15 na cor preta, mais as clássicas molduras de plástico contornando as caixas de rodas.

Dentro, bebe na fonte dos esportivos com o acabamento todo escurecido, bancos e volante com revestimento em couro, isso no caso da versão equipada com o motor e.torQ 1.8 flex e câmbio automático de seis marchas. Isso porque o Argo Trekking conta também com uma variante equipada com o motor 1.3 Firefly, opção mais moderna e eficiente, com 109 cv de potência e 14,2 kgfm de torque.

E esse é um ponto que não dá pra deixar passar batido quando analisamos o Argo, pois o conhecido 1.8 flex da Fiat - com 139 cv e 19,3 Kgfm de torque - não é exatamente uma referência para quem valoriza respostas mais rápidas do motor e em sintonia com baixo consumo de combustível.

O que segue igual na linha 2021 é o sistema multimídia, que ainda não é a mais recente versão do UConnect presente na picape Strada. O sistema é bom, permite espelhar smatrtphones com Android Auto ou Apple CarPlay, mas exige o uso cabo.

Outra característica positiva do Argo Trekking é a lista de itens de série bem servida, com direito a assistente de partida em rampa, controles eletrônicos de tração e estabilidade, sensor de estacionamento traseiro, sistema de monitoramento de pressão dos pneus, entre outros.

Mas oferece itens adicionais em dois pacotes, o Plus e o Full. Neles dá pra incluir câmera de ré, partida por botão, ar-condicionado digital, sensores de chuva e crepuscular, entre outros.

Pneus de uso misto e suspensão mais alta de verdade

Fiat Argo Trekking - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Dirigir a versão aventureira Trekking significa tirar proveito do bom ajuste encontrado em todas as versões do Argo, um carro de passeio bastante confortável. Mas no caso dele, lembre que tem suspensão realmente um pouco mais alta: o vão livre em relação ao solo é de 21 cm, 4 cm a mais alto do que a versão "normal", a Drive.

No uso de rotina, tem reações dentro do padrão, mas talvez incomode os mais atentos com a aspereza dos pneus de uso misto em contato com o asfalto. Situação que se inverte positivamente quando é preciso encarar as valetas da cidade ou a terra batida numa saída para o sítio.

Olhando para o mercado, o Argo Trekking tem como concorrentes diretos, tirando os SUVs compactos, dois modelos: o Hyundai HB20X e o Renault Stepway. Certamente o Argo Trekking leva vantagem com seu desenho equilibrado, o conforto e até o preço inicial mais interessante, desde que não seja acrescentado nenhum dos pacotes opcionais.

Mas neste momento, deveria ficar atrás do HB20X que, mesmo com seu novo desenho não tão legal, oferece até sistema de frenagem autônoma de emergência. Sim, falo que o Trekking deveria ficar atrás do modelo da Hyundai porque, na prática, o mercado vem respondendo diferente. Nos três primeiros meses deste ano, por exemplo, o Argo Trekking já vendeu - contabilizadas as duas versões, 1.3 e 1.8 - praticamente o dobro do que o HB20X.

Preço Fiat Argo Trekking

1.8 Flex Automático: R$ R$ 85.306,00
1.3 Flex manual: R$ 73.634,00

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL