PUBLICIDADE
Topo

Renault Duster: nova geração revitaliza o SUV, mas abandona os fãs do 4x4

Benê Gomes

Jornalista, produtor e roteirista, atua no setor automotivo desde 2001. É idealizador e diretor do programa Auto+, exibido pela RedeTV. Também dirige e apresenta o programa Momento Vox, no ar pela Band, e é colunista da rádio Transcontinental FM de São Paulo

Colunista do UOL

19/07/2020 04h00

Para quem tem memória boa, vai lembrar que o Renault Duster foi o primeiro modelo a desafiar diretamente o Ford Ecosport, modelo que abriu as portas para o segmento que faz tanto sucesso hoje. Mas o tempo passou e o utilitário francês vinha penando no mercado com a falta de uma renovação de verdade para fazer frente aos outros SUVs compactos que chegaram depois. Ponto que foi resolvido com o lançamento de sua nova geração no início deste ano.

É verdade que o Duster segue com a mesma plataforma, mas não dá para tirar o crédito da Renault, que conseguiu mudar bem a situação dele. O visual externo foi reforçado com os novos faróis e o para-brisa mais inclinado - o que dá uma bela aliviada - e também com as caixas de roda maiores. Isso sem esquecer das novas lanternas traseiras que geraram muita discussão por causa da semelhança com as do Jeep Renegade.

No primeiro contato com o novo Duster, é do lado de dentro onde realmente temos a percepção de mudança, pois o interior da cabine passou por uma verdadeira e muito bem-vinda revolução. Ainda há bastante plástico no acabamento, mas isso não é exclusividade dele, concorda?

Mas o clima é outro, começando pelo sistema multimídia Easy Link com tela de 8 polegadas, agora instalada numa posição confortável para leitura e manuseio. Ela faz uma boa parceria com o painel central, que também foi todo reformulado e perdeu aquele ar antigo.

Aliás, a versão Iconic - usada nesta avaliação - traz um item opcional interessante, o sistema Multiview, detalhe até pouco tempo restrito aos carros mais luxuosos. São quatro câmeras instaladas do lado de fora e que permitem enxergar toda área em volta do SUV. Faz parte também da lista de equipamentos da versão mais recheada o alerta de ponto-cego, ar-condicionado digital, chave presencial e faróis com acendimento automático.

Para os mais exigentes, a Renault criou novos pacotes de opcionais. É o caso do kit Outsider, esse com inspiração no universo 4x4 mais raiz e que reúne uma proteção frontal - de gosto discutível -, farol de longo alcance, alargador de para-lama, friso para porta, barra de teto e retrovisor na cor preta.

Mas importante mesmo foi a atualização de outros itens que não podiam mais ficar de fora de um carro como o Duster. Exemplo? Finalmente ganhou direção com assistência elétrica - com direito a coluna com ajuste de altura e profundidade - detalhe que alterou bastante a situação para quem dirige um SUV desse porte.

Fazer manobras com o Duster ficou muito mais confortável, sem contar a maior sensação de segurança na estrada. Mas tem outro ponto de muito valor: no Duster 2021, os controles eletrônicos de tração e estabilidade são equipamentos de série desde a primeira versão, assim como a luz diurna de LED.

Nova geração deixa de lado os fãs da versão 4X4

Com a mudança da nova geração, o Duster ficou apenas com uma opção de motor, o 1.6 16V SCe flex de 120 cavalos de potência e 16,2 Kgfm de torque, opção já utilizada na geração anterior.

Bem, essa é uma questão que frustra os fãs que viam nele uma alternativa interessante e acessível para a prática do off-road leve. Sim, com a decisão de utilizar apenas o motor 1.6, o Duster perdeu a versão com motor 2.0 de 148 cavalos e tração 4X4.

Para quem era fã do motor maior, não dá para dizer que vai sentir tanta falta assim. No uso comum não sobra fôlego, mas também não dá para dizer que falta força ao Duster, seja na cidade ou na rodovia. Mas essa é uma história que deve mudar no ano que vem, com a provável chegada de uma versão com motor turbo.

O que segue com duas opções é a transmissão, que pode ser manual de cinco marchas ou a automática do tipo CVT. O Renault Duster 2021 tem preços entre R$ 74.690 na versão Zen, e R$ 90.690 na Iconic.