PUBLICIDADE
Topo

Chevrolet Tracker 2021

Versões e tudo o que você precisa saber sobre o SUV compacto

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

25/07/2020 04h00

A vida do Tracker mudou completamente neste ano.

Lançado no Brasil em 2001, ele estreou aqui como um "clone" do Suzuki Grand Vitara, só que com a tradicional gravatinha na grade frontal e pequenas modificações.

Até o motor era o mesmo 2.0 turbodiesel do SUV japonês. O modelo foi vendido assim até 2004 e só voltou às ruas brasileiras três anos depois. A principal mudança foi a adoção de um motor 2.0 16V a gasolina com o intuito de rivalizar com o Ford Ecosport, que até então reinava no segmento de SUVs compactos.

Uma nova geração estreou no fim de 2013 com identidade própria e um moderno motor 1.8 Ecotec, que entregava até 144 cv quando abastecido com etanol. Havia duas opções de transmissão: manual de cinco marchas e automática de seis velocidades.

Quase três anos depois, em 2016, o Tracker ganhou a versão de entrada LT, lançada com o intuito de encarar rivais mais modernos, como Jeep Renegade e Honda HR-V. No ano seguinte, a GM fez uma leve reestilização no SUV, que ganhou dianteira atualizada e interior mais moderno. A maior mudança, porém, aconteceu debaixo do capô: o motor 1.4 turbo de até 153 cv era o mesmo do Cruze.

Na linha 2019, o Tracker ganhou as versões Premier (que substituiu a antiga LTZ) e Midnight, que trazia vários detalhes externos pintados de preto, como rodas de liga leve e até a gravatinha do logotipo, tradicionalmente na cor dourada.

A geração atual do SUV está entre nós desde março de 2020. Completamente renovada, ela cresceu e ganhou novas motorizações: 1.0 turbo de até 116 cv nas versões mais baratas e 1.2 turbo capaz de render até 133 cv.

Todas as versões saem de fábrica com 6 airbags e controles de estabilidade e de tração. A tecnologia é outro destaque do carro, que traz central multimídia MyLink com OnStar e internet 4G com Wi-Fi a bordo.

Dependendo da configuração, o Tracker pode vir com carregador de celular por indução, alerta de colisão frontal com frenagem autônoma de emergência, sensor de pontos cegos e sistema de estacionamento semiautônomo.

O que mudou na linha 2022?

Em todas as versões a central multimídia MyLink passa a oferecer conexão com Android Auto e Apple CarPlay sem fio, desde a versão 1.0 LT.

Dimensões: comprimento, 4,27 m; largura, 1,79 m; altura, 1,62 m; entre-eixos, 2,57 m

Porta-malas: 393 litros

Tanque: 44 litros

Versões:

Itens de série:

LT 1.0 Turbo AT:

Motor: 1.0, 12V, 3 cilindros em linha, flex

Câmbio: automático de 6 marchas

Potência: 116 cv a 5.500 rpm

Torque: 16,8 kgfm / 16,3 kgfm a 2.000 rpm

Consumo (urb./rod.): 9 km/l / 10,4 km/l (etanol) - 13 km/l /14,8 km/l (gas.)

Itens de série: 6 airbags, alarme, assistente de partida em rampas, controles de estabilidade e de tração, faróis de neblina, luzes de condução diurna, regulagem de altura dos faróis, computador de bordo, ganchos para fixação de cadeirinhas Isofix, maçanetas externas e rack do teto na cor preta, rodas de liga leve de 16 polegadas, coluna de direção com regulagem de altura e profundidade, maçanetas internas em prata.

Ar-condicionado, computador de bordo, direção elétrica, espelhos retrovisores elétricos com capas na cor preta, travas elétricas, vidros elétricos com acionamento um toque e antiesmagamento, cobertura do porta-malas, banco traseiro bipartido, central multimídia MyLink com tela de 8 polegadas e suporte a Android Auto e Apple CarPlay e entrada USB para o banco traseiro.

Painel de instrumentos com tela de 3,5 polegadas, sistema de concièrge OnStar e internet com conexão 4G a bordo e Wi-Fi, grade frontal com detalhes cromados, espelhos retrovisores e maçanetas externas na cor do carro, rack do teto em prata, câmera de ré, piloto automático, destravamento das portas sem chave, partida do motor por botão e sistema start-stop.

Turbo 1.2 AT:

Motor: 1.2, 12V, 3 cilindros em linha, flex

Câmbio: automático de 6 marchas

Potência: 133 cv / 132 cv a 5.500 rpm

Torque: 21,4 kgfm / 19,4 kgfm a 2.000 rpm

Consumo (urb./rod.): 7,7 km/l / 9,4 km/l (etanol) - 11,2 km/l /13,5 km/l (gas.)

Itens de série: todos os itens da versão Turbo 1.0 MT mais motor 1.2 turbo, câmbio automático de seis marchas, sistema start-stop e piloto automático.

Premier 1.0 Turbo AT

Motor: 1.0, 12V, 3 cilindros em linha, flex

Câmbio: automático de 6 marchas

Potência: 116 cv a 5.500 rpm

Torque: 16,8 kgfm / 16,3 kgfm a 2.000 rpm

Consumo (urb./rod.): 9 km/l / 10,4 km/l (etanol) - 13 km/l /14,8 km/l (gas.)

Itens de série: todos os itens da versão LTZ 1.2 AT mais painel de instrumentos com tela colorida de 3,5 polegadas, alerta de colisão frontal, faróis e lanternas em LED, frisos cromados nas janelas, maçanetas internas cromadas, ar-condicionado digital, carregador de smartphones por indução, sistema de estacionamento semiautônomo, espelho retrovisor interno fotocrômico, teto-solar elétrico, frenagem autônoma de emergência e bancos revestidos em couro.

Premier 1.2 Turbo AT:

Motor: 1.2, 12V, 3 cilindros em linha, flex

Câmbio: automático de 6 marchas

Potência: 133 cv / 132 cv a 5.500 rpm

Torque: 21,4 kgfm / 19,4 kgfm a 2.000 rpm

Consumo (urb./rod.): 7,7 km/l / 9,4 km/l (etanol) - 11,2 km/l /13,5 km/l (gas.)

Itens de série: todos os itens da versão LTZ 1.2 AT mais painel de instrumentos com tela colorida de 3,5 polegadas, alerta de colisão frontal, faróis e lanternas em LED, frisos cromados nas janelas, maçanetas internas cromadas, ar-condicionado digital, carregador de smartphones por indução, sistema de estacionamento semiautônomo, espelho retrovisor interno fotocrômico, teto-solar elétrico, frenagem autônoma de emergência e bancos revestidos em couro.

Valores de revisão:

Versões com motor 1.0 turbo e 1.2 turbo:

10 mil km: R$ 300,00

20 mil km: R$ 596,00

30 mil km: R$ 496,00

40 mil km: R$ 660,00

50 mil km: R$ 476,00

60 mil km: R$ 596,00

Garantia:

3 anos

Concorrentes

Jeep Renegade

Motores: 1.3 turboflex (185 cv / 180 cv )

Versões: STD, Sport, Longitude, Limited e Trailhawk

Pontos positivos: lista de itens de série e design

Pontos negativos: desempenho e consumo (versões flex)

Hyundai Creta

Motores: 1.6 16V flex (130 cv / 123 cv), 1.0 turboflex (120 cv) e 2.0 16V (167 cv / 157,3 cv)

Versões: Attitude, Comfort, Limited, Platinum e Ultimate

Pontos positivos: espaço interno e garantia

Pontos negativos: consumo (2.0) e design

VW T-Cross

Motores: 1.0 turboflex (128 cv / 116 cv) e 1.4 turboflex (150 cv)

Versões: Sense, 200 TSI, Comfortline e Highline

Pontos positivos: desempenho e design

Pontos negativos: acabamento e porta-malas

Nissan Kicks

Motores: 114 cv a 5.600 rpm

Versões: Sense, Sense CVT, Advance CVT e Exclusive CVT

Pontos positivos: design e estabilidade

Pontos negativos: autonomia e desempenho

Honda HR-V

Motores: 1.8 16V Flex (140 cv / 139 cv) e 1.5 16V turbo gasolina (173 cv)

Versões: LX, EX, EXL e Touring

Pontos positivos: espaço interno e desempenho (Touring)

Pontos negativos: preço e lista de itens de série