PUBLICIDADE
Topo

Tracker Premier 1.0 é boa opção ao trocar desempenho por carro 'completão'

Motor 1.0 turbo dá conta do recado no SUV da Chevrolet - Vitor Matsubara/UOL
Motor 1.0 turbo dá conta do recado no SUV da Chevrolet
Imagem: Vitor Matsubara/UOL

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

11/11/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Versão topo de linha ganha motor 1.0 turbo de até 116 cv
  • Por R$ 114.590, SUV encara versões intermediárias de T-Cross e Renegade
  • Diferença para versão LTZ com mesma motorização é de R$ 9.100

Parece que faz mais tempo, mas o novo Tracker só está entre nós há alguns meses. Apesar disso, a Chevrolet já fez importantes mudanças em sua gama.

Foi assim que a versão Premier ganhou o motor 1.0 turbo de 115 cv e criou uma opção mais barata à 1.2 Premier, que permanece em linha.

Por trás da novidade está uma estratégia aparentemente bem pensada da Chevrolet. Com isso, o SUV de R$ 114.590 preenche a lacuna que existia entre as versões LTZ 1.0 Turbo (R$ 105.490) e Premier 1.2 Turbo (R$ 121.290).

Vale a pena comprar o Tracker Premier com motor de 1-litro? Ou será que o motor 1.2 justifica a diferença de quase R$ 7 mil? Descubra as respostas na avaliação de UOL Carros.

Murilo Góes/UOL

Chevrolet Tracker Premier 1.0 Turbo

Preço

R$ 114.590
Carros
4,4 /5
USUÁRIOS
4,0 /5
ENTENDA AS NOTAS DA REDAÇÃO

Médias aferidas pelo Inmetro indicam que Tracker não é beberrão, mas poderia ser mais econômico - sobretudo com etanol

O motor 1.0 turbo de 116 cv dá conta do recado com sobras e é uma boa pedida no SUV

Estilo elegante e moderno ainda chama atenção nas ruas, mesmo depois de quatro meses

O Tracker Premier 1.0 traz a mesma lista de equipamentos da versão 1.2, só que custando menos

Quatro adultos viajam sem aperto dentro do SUV, que tem um bom porta-malas de 393 litros

Custos de manutenção estão entre os mais baixos da categoria - o que é sempre bom

6 airbags e controles de estabilidade e de tração são oferecidos de fábrica em todas as versões

Veredito

A Chevrolet acertou ao oferecer o motor 1.0 turbo no Tracker Premier. Pena que esperou alguns meses para fazê-lo. De toda maneira, o SUV é uma opção interessante para quem quer um carro mais completo e não faz questão de tanto desempenho. Vale, porém, uma ressalva: a grande diferença de R$ 9.100 em relação à versão LTZ pode desanimar o investimento na versão mais luxuosa. Dinheiro não é problema? Então vale pensar na versão Premier 1.2 por R$ 6.700 a mais.

Tracker Premier 1 - Divulgação - Divulgação
Design elegante faz Tracker se destacar nas ruas
Imagem: Divulgação

Alguns meses depois de sua chegada, o Tracker ainda chama atenção nas ruas. Faz sentido: o SUV tem linhas muito bonitas e equilibradas, que, se não apostam na ousadia de um VW Nivus, também não são conservadoras como no Hyundai Creta.

Ponto positivo para o design de linhas elegantes, que não apela para elementos que reforçam o visual parrudo e assume a vocação urbana do modelo.

Externamente, a versão Premier traz poucas diferenças para a LTZ. Apenas as molduras das janelas em acabamento cromado e os faróis e lanternas em LED distinguem a opção mais luxuosa do SUV.

Por dentro, o Tracker possui o mesmo painel do Onix, o que pode decepcionar quem procura mais exclusividade. Dele também vieram os plásticos de boa qualidade, que parecem um pouco "apagados" por conta do estilo mais sóbrio da cabine.

A posição de dirigir é boa e o volante de menor diâmetro tem boa empunhadura. Já o banco inteiriço é bastante confortável e anatômico, como na linha Onix. Atrás, o espaço para joelhos e cabeça dos passageiros é bom, embora não seja grande o suficiente para que três adultos viajem com folga. O porta-malas acomoda 393 litros.

Tracker Premier 1.0 2 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Motor 1.0 turbinado entrega até 116 cv com etanol
Imagem: Murilo Góes/UOL

Quem já dirigiu o Tracker 1.2 vai notar uma diferença quando assumir o volante do 1.0. Entretanto, ela não é tão gritante assim. O conjunto que entrega até 116 cv e 16,8 kgfm não decepciona na maioria das situações, mesmo com lotação máxima.

Existe, porém, um comportamento ligeiramente mais pacato nas acelerações e retomadas, situações nas quais o Tracker 1.0 demora um pouco para arrancar.

Pode botar a "culpa" na conta do câmbio de seis marchas, que, apesar de trabalhar de forma adequada na maior parte do tempo, padece de suavidade e agilidade nas trocas. Isso porque o motorista percebe nitidamente quando a caixa realiza algumas reduções.

Leve nas manobras, a direção não tem peso suficiente para transmitir a sensação de segurança em velocidade mais altas. Na estrada, o carro parece suscetível a ventos laterais mais fortes. Isso, porém, não é exclusividade das versões com motor 1.0, já que todo Tracker parece se comportar assim.

Embora não seja referência em economia, o Tracker está longe de decepcionar diante de outros modelos turbinados.

Dados do Inmetro indicam 8,2 km/l na cidade e 9,5 km/l na estrada com etanol, números que sobem para 11,9 km/l no ciclo urbano e 13,7 km/l no rodoviário se a escolha for pela gasolina.

Tracker Premier 3 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Cabine da versão 1.0 é a mesma da Premier 1.2
Imagem: Murilo Góes/UOL

Não existe Tracker mais completo do que a versão Premier.

Entretanto, a opção com motor 1.0 se diferencia da mais cara pela ausência do teto solar panorâmico. De resto, tudo é igual nas duas versões.

Além de itens presentes desde a configuração de entrada, como os 6 airbags e os controles de estabilidade e de tração, o SUV vem com sistema de estacionamento semiautônomo, ar-condicionado digital, carregador de celular por indução, maçanetas internas cromadas, entrada USB para o banco traseiro, sensores de estacionamento traseiros, destravamento das portas sem chave, partida do motor por botão, central multimídia MyLink 3 com tela de 8 polegadas e suporte a Android Auto e Apple CarPlay e internet 4G com Wi-Fi, entre outros.

Tracker Premier 5 - Divulgação - Divulgação
Tracker vem com 6 airbags de série em todas as versões
Imagem: Divulgação

Assim como nas linhas Onix e Onix Plus, o Tracker marca um gol de placa ao trazer seis airbags, controles de estabilidade e de tração e assistente de partida em rampas como itens de série em todas as versões.

No caso da versão Premier 1.0, ela ainda vem com sensor de pontos cegos, alerta de colisão e frenagem autônoma de emergência. São itens extremamente importantes e (infelizmente) ainda raros no mercado nacional.

Estabilidade também é um ponto forte do Tracker, que traz uma dirigibilidade muito mais próxima a de um automóvel convencional do que um utilitário esportivo, cujo centro de gravidade costuma ser naturalmente mais alto. A carroceria pouco inclina nas curvas.

Outro ponto importante é que os valores sugeridos das revisões também estão entre os mais baixos da categoria. E o valor médio do seguro também não é proibitivo.

Tracker Premier 1.0 5 - Vitor Matsubara/UOL - Vitor Matsubara/UOL
SUV encara versões intermediárias de T-Cross e Renegade
Imagem: Vitor Matsubara/UOL

Por R$ 114.590, o Tracker Premier está bem posicionado no mercado.

O principal alvo é o VW T-Cross Comfortline (R$ 115.750), até por se tratar do único SUV com motorização turbo entre os mais vendidos. Vale lembrar que o T-Cross é o líder da categoria no ano, mas o Tracker foi o mais vendido do segmento nos dois últimos meses.

Porém, a novidade também encara nomes como Jeep Renegade Longitude Flex (R$ 111.190), Nissan Kicks SL Pack Tech (R$ 116.090) e Honda HR-V EX (R$ 117.400).

Mecânica
  • Motorização

  • 1.0, 12V, 3 cilindros, flex

  • Combustível

  • Etanol / Gasolina

  • Potência (cv)

  • 116

  • Torque (kgf.m)

  • 16,8 / 16,3

  • Aceleração de 0 a 100 (segundos) (km/h)

  • 10,9

  • Velocidade máxima (km/h)

  • 177

  • Consumo cidade (km/l)

  • 8,2 / 9,6

  • Consumo estrada (km/l)

  • 11,9 / 13,7

  • Câmbio

  • automático de 6 marchas

  • Tração

  • dianteira

  • Direção

  • elétrica

  • Suspensão Dianteira

  • independente, McPherson

  • Suspensão Traseira

  • eixo de torção

  • Freios Dianteiros

  • discos ventilados

  • Freios Traseiros

  • tambor

Pneus e Rodas
  • Pneus

  • 215/55 R17

  • Rodas

  • 17 polegadas

Dimensões
  • Altura (mm)

  • 1624

  • Comprimento (mm)

  • 4270

  • Entre-eixos (mm)

  • 2570

  • Largura (mm)

  • 1791

  • Ocupantes

  • 5

  • Peso (kg)

  • 1228

  • Porta-malas (L)

  • 393

  • Tanque (L)

  • 44

Preço das Revisões, Seguro e Garantia
  • 10.000 km

  • R$ 320,00

  • 20.000 km

  • R$ 616.00

  • 30.000 km

  • R$ 516,00

  • 40.000 km

  • R$ 684,00

  • 50.000 km

  • R$ 496,00

  • 60.000 km

  • R$ 616,00

  • Seguro

  • R$ 2.700 (média)

  • Garantia

  • 3 anos

Equipamentos
  • Airbags Motorista

  • Airbags Passageiro

  • Airbags Laterais

  • Airbags do tipo Cortina

  • Controle de Estabilidade

  • Controle de Tração

  • Freios ABS

  • Distribuição Eletrônica de Frenagem

  • Ar-Condicionado

  • Travas Elétricas

  • Ar Quente

  • Piloto Automático

  • Volante com Regulagem de Altura

  • Vidros Elétricos Dianteiros

  • Vidros Elétricos Traseiros

  • Central Multimídia

  • Rádio FM/AM

  • Entrada USB

  • Entrada Auxiliar

  • Banco de Couro

  • Banco do motorista com ajuste de altura

  • Desembaçador Traseiro

  • Computador de Bordo

  • Acendimento automático dos faróis

  • Faróis de neblina

  • Frenagem autônoma de emergência

  • Sensor de pressão dos pneus

  • Sensor de pontos cegos

  • Alerta de colisão

  • Abertura elétrica do porta-malas

  • Faróis com regulagem de altura

  • Sistema de estacionamento autônomo