PUBLICIDADE
Topo

Tiggo 3x aposta em equipamentos e novo visual para provar que mudou

José Antonio Leme

Do UOL, em São Paulo

22/07/2021 04h00

A Caoa Chery aumentou recentemente sua gama de SUVs com a chegada do Tiggo 3x. O modelo que parte de R$ 94.990 é a evolução do Tiggo 2, que continuará a ser produzido nacionalmente e vendido como uma versão de entrada para o público que quer um SUV.

Mesmo mantendo a plataforma, a Caoa Chery fez mudanças profundas no modelo que justificaram até a mudança de nome. O novo SUV já adotou a nova linguagem visual da companhia, além de novos motor turboflex, câmbio automático e muitos equipamentos.

Nós tivemos acesso à versão de topo, Turbo Pro, que é vendida por R$ 99.990, mas tem preço de tabela de R$ 105.990, colocando-o na briga pelo cliente dos SUV compactos mais básicos.

Mas será que todas as alterações realmente mudaram o Tiggo? É o que você vai descobrir na avaliação de UOL Carros.

Keiny Andrade/UOL

Caoa Chery Tiggo 3X

Preço

R$ 99.990
Carros
3,0 /5
USUÁRIOS
5,0 /5
ENTENDA AS NOTAS DA REDAÇÃO

Pontos Positivos

  • Equipamentos
  • Estilo

Pontos Negativos

  • Câmbio CVT

Veredito

A realidade é que o cliente comum pode passar despercebido pelas similaridades do Tiggo 2 e do 3x tranquilamente, tamanha foram as mudanças em aspecto visual e também de design interno do carro. O motor 1.0 turbo é bom no que se propõe e seria melhor com um câmbio automático convencional, mas nada que desabone a conduta do tricilíndrico. O trabalho é fazer o consumidor entender que a potência baixa perto de outros modelos não vai mudar em nada a vida dele.

Caoa Chery Tiggo 3x - Keiny Andrade/UOL - Keiny Andrade/UOL
Imagem: Keiny Andrade/UOL

Design e espaço interno

Se a plataforma do Tiggo 3x ainda é a mesma do Tiggo 2, quase todo o design foi alterado. O modelo ganhou a dianteira com o DNA visual que estará em breve também nos demais modelos da marca oferecidos no Brasil.

O visual ficou muito mais moderno e contemporâneo com a grade de aspecto 3D e formato hexagonal, além dos LEDs diurnos separados do restante do conjunto óptico.

Na traseira, o que já conhecíamos do Tiggo 2 foi mantido, inclusive as lanternas, cuja única diferença é o acabamento escurecido. Ele ganhou pequenos detalhes diferenciados que alteraram o visual, como plaquetas cromadas com o nome da versão na coluna C e novo desenho para as rodas de liga leve.

Por dentro, o pequeno SUV mudou completamente e para melhor. O painel não tenta enganar que é feito de plástico, mas tem acabamento com textura agradável e aparência de fibra de carbono em algumas áreas, o que deixa as peças mais palatáveis ao olhar, se não ao toque.

Caoa Chery Tiggo 3x - Keiny Andrade/UOL - Keiny Andrade/UOL
Imagem: Keiny Andrade/UOL

A ergonomia geral do interior é bem agradável bem como a usabilidade do habitáculo com vários porta-objetos e espaços úteis. A posição de guiar é boa, apesar de não contar com ajuste de distância do volante, apenas de altura.

O único pênalti aqui é posição do botão de volume do rádio no console central, próximo a alavanca de câmbio, e que em diversas vezes passou despercebido na hora de reduzir ou aumentar o volume, ficando a cargo dos botões do volante que são mais lentos do que o botão giratório no console.

O espaço interno é bom para quatro adultos, um quinto ocupante fica aberto na área central, ainda que o túnel central não seja tão elevado, é uma questão da largura do modelo e da distância entre ombros dos ocupantes.

O porta-malas tem capacidade declarada de 420 litros. Além disso, tem abertura ampla, mas a parte inferior da tampa é bastante elevada, o que pode prejudicar o acesso ao compartimento para pessoas mais baixas.

Caoa Chery Tiggo 3x - Keiny Andrade/UOL - Keiny Andrade/UOL
Imagem: Keiny Andrade/UOL

Consumo e desempenho

O novo motor três cilindros turboflex de 1 litro entrega até 102 cv a 5.500 rpm e 17,1 mkgf a 2.000 rpm com etanol. Se estiver alimentado com gasolina, o propulsor desenvolve 98 cv e 16,1 mkgf aos mesmos regimes de rotação.

Pode parecer pouco a potência do motor, já que nos acostumamos com motores 1.0 turbo mais potentes, mas mais importante do que a potência (energia) é o torque (força), que é o que usamos para tirar o carro da imobilidade e em ultrapassagens e retomadas.

Caoa Chery Tiggo 3x - Keiny Andrade/UOL - Keiny Andrade/UOL
Imagem: Keiny Andrade/UOL

E nisso o Tiggo 3x vai bem. Ele pode não ser uma fera na aceleração ou mesmo em atingir a velocidade final, mas não é isso que se espera de um carro com estilo de SUV.

Comparando, o que ele entrega de torque é mais do que o oferecido pelo Nissan Kicks, que tem até 15,5 mkgf e usa um motor 1.6 de aspiração natural.

Apesar do bom comportamento do motor, o câmbio automático CVT, que deixou o antigo convencional de quatro marchas para o Tiggo 2 e simula nove marchas, é o ponto fraco do conjunto.

Focado mais em economia, como todo câmbio CVT, ele acaba matando um pouco o rendimento do propulsor, especialmente em retomadas em subidas. Para tentar mitigar tal comportamento, o condutor pode trocar as marchas manualmente pela alavanca.

O conjunto de suspensões trabalha bem em piso irregular para amortecer e filtrar as imperfeições, mas como os demais SUVs compactos não dá para esperar um desempenho de "jipe" em termos de suspensão, mas sim de carro de passeio para o asfalto.

Apesar da altura mais elevada da carroceria, nas curvas o carro não balança tanto quanto o esperado e se mantém bastante equilibrado.

Caoa Chery Tiggo 3x - Keiny Andrade/UOL - Keiny Andrade/UOL
Imagem: Keiny Andrade/UOL

Equipamentos

Entre as novidades do que diz respeito a equipamentos estão o novo painel de instrumentos virtual. Ele tem apenas um modo, mas duas colorações possíveis, além de ficar todo vermelho ao acionar o botão do modo Sport. A visualização dos itens é boa e ele é bem completo.

O Tiggo 3x traz ainda central multimídia com integração a Android Auto e Apple CarPlay por meio de cabo USB, assistente de descida, que segura o carro para evitar a fadiga do sistema de freio em situações mais íngremes, e de partida em rampa.

A lista da versão Pro traz ainda acendimento automático dos faróis, chave presencial com partida por botão e sistema de partida remota para climatização da cabine.

Com o carro trancado basta segurar o botão de travar por alguns segundos e o motor irá ligar automaticamente, mas mantendo o carro travado. E é preciso apertar o botão de partida no painel para poder arrancar o veículo, como uma medida de segurança.

O Tiggo 3x Pro tem ainda faróis Full-LEDs, espelhos com rebatimento elétrico ao trancar o veículo, luzes de boas vindas nas portas dianteiras, que projetam o nome do carro no chão, piloto automático, ar-condicionado com comandos digitais pela multimídia, sensor de obstáculos traseiro e câmera de ré.

Caoa Chery Tiggo 3x - Keiny Andrade/UOL - Keiny Andrade/UOL
Imagem: Keiny Andrade/UOL

O banco do motorista tem ajuste de altura manual por meio de um seletor giratório, que não é muito prático, mas funciona de todo modo. A coluna de direção tem apenas ajuste de altura, não de distância.

Fecha o pacote o sensor de pressão dos pneus, os controles de tração e estabilidade e os dois airbags dianteiros que são os obrigatórios por lei. Por outro lado, o modelo tem freio a disco nas quatro rodas, sendo ventilados na frente e sólidos atrás.

Para levar as crianças o banco traseiro tem o sistema de fixação Isofix, que é o melhor método para prender cadeirinhas ou assentos de elevação (booster) para os maiorzinhos.

Caoa Chery Tiggo 3x - Keiny Andrade/UOL - Keiny Andrade/UOL
Imagem: Keiny Andrade/UOL

Mercado

O Tiggo 3x disputará mercado com uma série de rivais, a depender do modelo, com versões intermediárias, de topo ou de entrada. Isso faz do modelo quase que um coringa dentro desse mercado.

As mudanças que vieram foram para melhor em todos os aspectos, especialmente no mecânico se comparado com junto que ainda vive no Tiggo 2: motor 1.5 aspirado e câmbio automático de quatro marchas.

Caoa Chery Tiggo 3x - Keiny Andrade/UOL - Keiny Andrade/UOL
Imagem: Keiny Andrade/UOL

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Mecânica
  • Motorização

  • 1.0, 3 cil., 12V, turbo

  • Combustível

  • Etanol / Gasolina

  • Potência (cv)

  • 102 / 98 a 5.000 rpm

  • Torque (kgf.m)

  • 17,1 / 16,8 a 2.000 rpm

  • Aceleração de 0 a 100 (segundos) (km/h)

  • 14,2

  • Velocidade máxima (km/h)

  • 172

  • Consumo cidade (km/l)

  • 7,8 (E) / 11,2 (G)

  • Consumo estrada (km/l)

  • 8,5 (E) / 12,2 (G)

  • Câmbio

  • Automático, CVT

  • Tração

  • Dianteira

  • Direção

  • Elétrica

  • Suspensão Dianteira

  • Independente, McPherson

  • Suspensão Traseira

  • Eixo de torção

  • Freios Dianteiros

  • Discos ventilados

  • Freios Traseiros

  • Discos sólidos

Pneus e Rodas
  • Pneus

  • 205/55 R16

  • Rodas

  • 16 polegadas

Dimensões
  • Altura (mm)

  • 1570

  • Comprimento (mm)

  • 4200

  • Entre-eixos (mm)

  • 2555

  • Largura (mm)

  • 1760

  • Ocupantes

  • 5

  • Peso (kg)

  • 1249

  • Porta-malas (L)

  • 420

  • Tanque (L)

  • 50

Preço das Revisões, Seguro e Garantia
  • 10.000 km

  • R$ 490,60

  • 20.000 km

  • R$ 628,66

  • 30.000 km

  • R$ 490,60

  • Garantia

  • 5 anos

Equipamentos
  • Airbags Motorista

  • Airbags Passageiro

  • Controle de Estabilidade

  • Controle de Tração

  • Freios ABS

  • Distribuição Eletrônica de Frenagem

  • Ar-Condicionado

  • Travas Elétricas

  • Ar Quente

  • Piloto Automático

  • Volante com Regulagem de Altura

  • Vidros Elétricos Dianteiros

  • Vidros Elétricos Traseiros

  • Central Multimídia

  • Rádio FM/AM

  • Entrada USB

  • Banco de Couro

  • Banco do motorista com ajuste de altura

  • Desembaçador Traseiro

  • Computador de Bordo

  • Acendimento automático dos faróis

  • Faróis de neblina

  • Sensor de pressão dos pneus

  • Faróis com regulagem de altura