PUBLICIDADE
Topo

Mercedes-AMG A 35 mostra por que hatches médios não podem morrer no Brasil

Rafaela Borges

Colaboração para o UOL

10/11/2021 04h00

O Mercedes-AMG A 35, também conhecido como A 35 AMG, era a versão de topo da linha Classe A no Brasil. O posto foi perdido no segundo semestre do ano passado, quando chegou o AMG A 45.

Agora, o A 35 AMG está posicionado entre o A 250 e o A 45. Todos têm motor 2.0 turbo de quatro cilindros, mas em versões diferentes. O 35 leva a assinatura da divisão esportiva da Mercedes-Benz, mas tem uma preparação mais leve que a do 45.

Em um momento em que os hatches médios estão morrendo no Brasil, o UOL Carros avaliou um representante de peso para mostrar que ainda há vida na categoria. Confira!

Mercedes AMG A 35

Carros
4,0 /5
USUÁRIOS
3,0 /5
ENTENDA AS NOTAS DA REDAÇÃO

Pontos Positivos

  • Acabamento
  • Dirigibilidade

Pontos Negativos

  • Apenas uma entrada USB atrás
  • Preço

Veredito

Para os fãs de hatches médios, modelos cada vez mais raros, o A 45 é o suprassumo dos carros disponíveis no Brasil, mas sai por mais de R$ 500 mil. O 35 é um pouco menos impetuoso, mas não decepciona com procura um hot hatch. Tem aceleração forte e uma conjunto de suspensão e direção muito bem afinado. Pegar a estrada com o carro, especialmente com uma serra pela frente, é uma experiência e tanto.

Design

Mercedes-AMG A 35 - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Imagem: Rafaela Borges/UOL

Na mudança de ano-modelo, o A 35 recebeu leves alterações. O aerofólio traseiro, que já era um item oferecido na Europa, agora está disponível no carro trazido ao Brasil. Na parte de trás, no entanto, havia duas entradas USB até agora. Na linha 2022, o carro traz uma apenas, do tipo C.

Os passageiros de trás podem recorrer às duas que ficam no porta-objetos do console central, também do tipo C, se não estiverem sendo usadas por quem vai na frente. Uma novidade do hatch esportivo é o carregador de smartphones por indução (sem fio).

O A 35 AMG traz faróis full-LEDs e para-choque esportivo com spoiler, componente que deixa o modelo bem próximo ao chão - e exige muito cuidado ao passar por valetas mais profundas.

A grade frontal está mais para A 250 que para A 45. A do topo de linha é a conhecida como Panamericana, usada apenas nas versões com preparação total da divisão esportiva - e igual à do AMG GT. A do 35 segue a orientação tradicional da marca, com a estrela da Mercedes-Benz no centro e barras duplas de alumínio.

Lateralmente, chamam a atenção as rodas de 19" pretas. O carro tem 4,44 metros de comprimento, dimensão de um SUV médio - fica entre o Jeep Compass e o Volkswagen Taos. Porém, o hatch médio é um carro de apenas 1,40 metro e centro de gravidade baixo.

Atrás, é o imenso aerofólio preto o destaque. Há ainda lanternas em formato de gotas e duas saídas de escape com amplificadores, para deixar o som do quatro-cilindros um pouco mais instigante.

Por dentro, o acabamento usa plástico bem emborrachado e alumínio, além de couro e Alcântara com costura aparente. O volante AMG tem base reta e os bancos dianteiros são esportivos, com o apoio de cabeça integrado ao encosto. Seus comandos são elétricos - tanto para o motorista quanto para o passageiro.

Espaço e equipamentos

Mercedes-AMG A 35 - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Imagem: Rafaela Borges/UOL

O A 35 AMG traz o sistema MBUX, formado por duas telas suspensas e integradas com 10 polegadas cada. Uma delas é o painel de instrumentos virtual e configurável. O motorista pode alterar as informações que vê no centro do quadro e dos mostradores.

Há também diversas opções de estilo. Uma delas, a Supersport, é exclusiva de modelos AMG. Com esse modo acionado, tanto velocidade quanto giro do motor são mostrados digitalmente. A central multimídia concentra o comando de todas as funções do carro e tem um modo exclusivo, o AMG Performance.

Por meio dele, dá para ver o comportamento do motor, câmbio e a variação do consumo, além de configurar respostas do câmbio, motor e o conjunto formado por suspensão e direção. O MBUX também traz a tecnologia de comando de voz com inteligência artificial batizado pela marca de "Hi, Mercedes".

Há câmera de ré, sensores dianteiros, traseiros e laterais e assistência ao estacionamento. Outro destaque é o Attention Assist, que avisa ao motorista quando detecta que ele está cansado e precisa parar de dirigir um pouco.

O A 35 AMG tem porta-malas de 370 litros, no qual dá para acomodar duas malas médias (23 kg) e duas pequenas (15 kg). O entre-eixos é de 2,73 metros e há bom espaço atrás para duas pessoas. A terceira fica mal acomodada, pois o túnel central é alto.

Quem vai atrás tem saídas de ar exclusivas, mas sem possibilidade de ajustar a temperatura. O ar-condicionado traz apenas duas zonas. O sistema de som de alta qualidade é da marca premium Burmester.

Desempenho

Mercedes-AMG A 35 - Rafaela Borges/UOL - Rafaela Borges/UOL
Imagem: Rafaela Borges/UOL

O A 35 AMG tem os modos de condução confortável, esportivo, superesportivo (Sport Plus) e para pista escorregadia. Há ainda o individual, que permite ajustes diferentes para os componentes.

Os modos alteram as respostas de motor, câmbio, suspensão, direção e som do motor, que fica mais alto no Sport Plus. Como em outros carros 2.0 turbo da Mercedes, inclusive no A 45, quem está dentro do hatch escuta o propulsor roncar mais esportivamente do que quem o ouve da parte de fora.

A suspensão é bastante dura mesmo no modo confortável, mas dá para rodar com o carro no dia a dia sem grandes transtornos. A comodidade está muito longe da oferecida por um SUV, mas o A 35 AMG compensa essa característica com uma dirigibilidade instigante.

A direção é bem direta e tem boa carga mesmo no modo confortável, ficando ainda mais precisa com o Sport Plus acionado. As curvas são o habitat natural do carro, que traz ainda a tração integral por demanda 4Matic, capaz de transferir até 50% da força para as rodas traseiras.

Além disso, no eixo de trás, o torque também pode ser dividido entre as rodas automaticamente. Tudo isso contribui para o extremo equilíbrio do carro, que é bem grudadinho no chão e dificilmente ameaça escapar de dianteira ou traseira.

O motor 2.0 tem turbo e compressor e entrega 306 cv de potência. O torque de 40,8 mkgf está disponível plenamente a partir de 3.000 rpm. O câmbio é automático de sete marchas e duas embreagens.

Mesmo com 115 cv a menos que o A 45, o 35 é impetuoso na hora de acelerar. Ganha velocidade com muita rapidez e até uma certa brutalidade, garantindo alta dose de diversão a quem está atrás do volante.

De acordo com informações da Mercedes-Benz, o A 35 acelera de 0 a 100 km/h em apenas 4,7 segundos - é seis décimos de segundo mais lento que o 45. A velocidade máxima é limitada a 250 km/h.