PUBLICIDADE
Topo

Hyundai HB20 Sense: 'carro de Uber' cativa por preço e dirigibilidade

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

05/10/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Versão de entrada do hatch é preferida de locadoras e motoristas de aplicativo
  • Por R$ 49.590, HB20 Sense é uma das poucas opções abaixo de R$ 50 mil
  • Lista de itens de série é modesta, mas motor 1.0 tem bom desempenho

Faz algum tempo que o Hyundai HB20 ocupa a vice-liderança de vendas no país. Atrás apenas do inatingível Chevrolet Onix, o modelo apoia parte de seu resultado nas vendas diretas. E é aí que a versão Sense entra em cena.

Vendida por R$ 49.590, ela pode ser encontrada com descontos generosos na rede de concessionárias - e também custa menos nas vendas diretas.

Apesar do visual mais modesto, a configuração de entrada tem atributos que fazem dela uma compra interessante abaixo dos R$ 50 mil. Ficou curioso? Veja tudo na avaliação de UOL Carros.

Divulgação

Hyundai HB20 Sense 2021

Preço

R$ 49.590
Carros
4,0 /5
USUÁRIOS
3,9 /5
ENTENDA AS NOTAS DA REDAÇÃO

Números são satisfatórios com ambos os combustíveis

Motor 1.0 de três cilindros tem respostas ágeis e comportamento suave nas acelerações

Estilo ainda causa polêmica, mas isso não é prioridade na versão Sense

Lista de itens é modesta, deixando de fora itens como chave canivete e central multimídia

HB20 cresceu em relação a seu antecessor, e isso resultou em mais espaço no banco de trás

Custos de revisão são muito baixos; seguro também está entre os menores

Nada além do básico: airbag frontal, freios ABS e ganchos para cadeirinhas Isofix

Pontos Positivos

  • Conforto
  • Desempenho

Pontos Negativos

  • Itens de série
  • Design

Veredito

Quem procura um compacto e não pode gastar muito encontra no HB20 Sense uma boa opção. Bom de dirigir e econômico, o hatch agrada pelo acabamento de boa qualidade e é confortável para o uso diário. A lista de itens de série traz apenas o essencial, mas a Hyundai disponibiliza um pacote com ESP, controle de tração e assistente de partida em rampas por R$ 1.000 extras.

HB20 Sense 1 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Estilo controverso também está presente na versão de entrada
Imagem: Murilo Góes/UOL

Todo mundo sabe que design é um ponto delicado na segunda geração do HB20. Há quem goste e aqueles que não curtem o estilo mais ousado do hatch.

Na versão Sense, o compacto tem um visual mais modesto, realçado pelas calotas no lugar das rodas de liga leve. Há outros detalhes, como as capas dos espelhos retrovisores e as maçanetas sem pintura. Em contrapartida, o carro já traz a grade frontal com moldura em preto brilhante, que se tornou padrão em todas as versões da linha 2021.

Por dentro, o HB20 Sense tem acabamento simples, mas a qualidade de construção é elogiável para o segmento de populares. Os plásticos utilizados são exatamente os mesmos das versões mais sofisticadas e todas as peças são muito bem encaixadas.

O espaço interno melhorou sensivelmente em relação à geração anterior, já que o hatch cresceu 2 cm no comprimento e 2 cm na distância entre eixos. O porta-malas aumentou para bons 300 litros.

HB20 Sense 2 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Motor 1.0 de três cilindros é ágil e econômico
Imagem: Murilo Góes/UOL

O bom motor 1.0 Kappa é o mesmo da geração anterior. Entregando 80 cv / 75 cv e 10,2 kgfm / 9,4 kgfm, ele preza pela elasticidade, inclusive em baixas rotações.

O câmbio manual de cinco marchas tem engates suaves e a embreagem é leve, fazendo com que o anda-e-para do trânsito deixe de ser um tormento para quem utiliza o carro para trabalhar.

Já as vibrações tão comuns em motores de três cilindros não incomodam - e são, inclusive, menores do que no HB20 com motorização turbo. O isolamento acústico também é muito bom para um carro de entrada.

Os números de consumo são bons: 9,1 km/l na cidade e 10,1 km/l na estrada com etanol no tanque e 12,8 km/l e 14,6 km/l quando abastecido com gasolina.

HB20 Sense 3 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Sem central multimídia, mas com acabamento de boa qualidade
Imagem: Murilo Góes/UOL

A lista de equipamentos do HB20 Sense é modesta.

O carro vem de fábrica com ar-condicionado, direção elétrica, vidros elétricos nas portas dianteiras, travamento central das portas, computador de bordo e banco do motorista com regulagem de altura.

O modelo dispensa coluna de direção com regulagem de altura e central multimídia, esta substituída por um rádio com visual bem bonito e que traz as principais funções - incluindo conexão Bluetooth.

Até a chave é mais simples: nada de controles de destravamento das portas ou porta-malas. A abertura da porta do motorista, aliás, é feita à moda antiga: é preciso colocar a chave no miolo da maçaneta para abri-la.

A versão avaliada trazia o pacote opcional de R$ 1.000 que inclui controles de estabilidade e de tração e assistente de partida em rampas.

HB20 Sense 4 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Manter um HB20 Sense custa pouco
Imagem: Murilo Góes/UOL

Os valores sugeridos das seis primeiras revisões são muito competentes. A primeira delas, inclusive, sai por R$ 207,62 - um dos preços mais baixos em sua categoria. O seguro também está entre os mais acessíveis do segmento - o que faz dele uma opção ainda mais interessante.

Na segurança, o HB20 traz apenas o básico. Além do airbag duplo frontal e dos freios ABS obrigatórios por lei, o hatch traz ganchos para fixação de cadeirinhas Isofix.

Vale a pena pedir o pacote opcional Sense Pack por R$ 1.000, que acrescenta controles de estabilidade e de tração e assistente de partida em rampas.

HB20 Sense 6 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Preço baixo deixa HB20 Sense bem na fita
Imagem: Murilo Góes/UOL

O HB20 Sense está muito bem posicionado na categoria por conta do preço mais acessível.

Seus rivais diretos são Ford Ka S (R$ 50.690) e Chevrolet Joy Black (R$ 55.590).

A lista de equipamentos do Ka S é bem parecida com a do HB20 Sense, inclusive nos itens de segurança. O hatch da Ford é movido por um motor 1.0 de três cilindros, que rende até 85 cv com etanol.

Já o Joy Black também entrega conteúdo parecido com o do hatch da Hyundai. Seu motor é um 1.0 SPE/4 capaz de entregar até 80 cv quando abastecido com etanol.

Mecânica
  • Motorização

  • 1.0, 12V, 3 cilindros em linha, flex

  • Combustível

  • Etanol / Gasolina

  • Potência (cv)

  • 80 cv / 75 cv a 6.000 rpm

  • Torque (kgf.m)

  • 10,2 kgfm / 9,4 kgfm a 4.500 rpm

  • Aceleração de 0 a 100 (segundos) (km/h)

  • 14,5 segundos

  • Velocidade máxima (km/h)

  • 161 km/h

  • Consumo cidade (km/l)

  • 9,1 km/l / 10,1 km/l

  • Consumo estrada (km/l)

  • 10,1 km/l / 14,6 km/l

  • Câmbio

  • manual de 5 marchas

  • Tração

  • dianteira

  • Direção

  • elétrica

  • Suspensão Dianteira

  • independente, McPherson

  • Suspensão Traseira

  • eixo de torção

  • Freios Dianteiros

  • discos ventilados

  • Freios Traseiros

  • tambor

Pneus e Rodas
  • Pneus

  • 175/70 R14

  • Rodas

  • 14 polegadas

Dimensões
  • Altura (mm)

  • 1470 mm

  • Comprimento (mm)

  • 3940 mm

  • Entre-eixos (mm)

  • 2530 mm

  • Largura (mm)

  • 1720 mm

  • Ocupantes

  • 5

  • Peso (kg)

  • 989 kg

  • Porta-malas (L)

  • 300 l

  • Tanque (L)

  • 50 l

Preço das Revisões, Seguro e Garantia
  • 10.000 km

  • R$ 207,62

  • 20.000 km

  • R$ 470,10

  • 30.000 km

  • R$ 467,22

  • 40.000 km

  • R$ 618,13

  • 50.000 km

  • R$ 438,37

  • 60.000 km

  • R$ 614,32

  • Seguro

  • R$ 1.400 (média)

  • Garantia

  • 5 anos

Equipamentos
  • Airbags Motorista

  • Airbags Passageiro

  • Freios ABS

  • Distribuição Eletrônica de Frenagem

  • Ar-Condicionado

  • Travas Elétricas

  • Ar Quente

  • Vidros Elétricos Dianteiros

  • Rádio FM/AM

  • Entrada USB

  • Entrada Auxiliar

  • Banco do motorista com ajuste de altura

  • Computador de Bordo