PUBLICIDADE
Topo

Fiat Uno sente peso da idade e sofre com rivais até dentro de casa

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo

10/03/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Lançado em 2009, hatch não tem mudanças visuais desde 2014
  • Versão de entrada Attractive é única da linha sem motor Firefly
  • Uno sofre com concorrência até de Mobi e Argo

Pouca gente lembra que faz mais de 10 anos que a segunda geração do Fiat Uno está entre nós. Lançada em 2009, ela trouxe o conceito de personalização ao segmento de populares com várias opções de acessórios e adesivos.

O compacto fez bastante sucesso, mas perdeu apelo com o passar dos anos. Aos poucos ele foi perdendo terreno para rivais como Chevrolet Onix e Ford Ka. Até dentro de casa a briga ficou complicada, já que a Fiat lançou Mobi e Argo e deixou o pobre Uno sem mudanças mais significativas. Apenas uma leve reestilização foi realizada em 2014, que veio acompanhada da introdução dos bons motores Firefly.

Recentemente, a Fiat fez algumas mudanças na tabela de preços do veterano e vem a pergunta: o Uno ainda é uma boa opção de carro popular? Descubra com a gente nesta avaliação.

Fiat Uno Attractive 1.0 Fire Evo

Preço

R$ 44.190 (março de 2020) R$ 44.163,00 (Fipe) Ver histórico
Carros
3,3 /5
USUÁRIOS
3,7 /5
ENTENDA AS NOTAS DA REDAÇÃO

O veterano Fire EVO entrega números de consumo coerentes com a concorrência.

Que falta faz o 1.0 Firefly... O Uno Attractive poderia ser mais esperto no dia a dia

Sem mudanças profundas desde o lançamento, o visual do Uno está batido e pede mudanças

Popular à risca: o Uno só traz os itens essenciais, como ar-condicionado e direção hidráulica

Espaçoso o Uno nunca foi, mas ele leva quatro adultos sem muitas dificuldades

Custos de manutenção são baixos como nos modelos populares da Fiat

Nada de especial: o Uno só oferece airbag duplo e freios ABS de fábrica

Pontos Positivos

  • Preço
  • Consumo

Pontos Negativos

  • Design desgastado
  • Desempenho

Veredito

A geração atual do Uno surgiu como uma opção bem interessante na época de sua estreia, mas pouco evoluiu com o passar dos anos. A mudança mais signficativa (e muito bem-vinda, diga-se) foi a adoção dos novos motores Firefly. O problema é que essa novidade não foi estendida a toda a linha, e a versão Attractive ficou de fora. Com um motor envelhecido e sem melhorias no produto, o Uno não está entre as melhores compras do segmento na atualidade. Porém, quem não gosta do estilo do Mobi e precisa de um pouco mais de espaço ainda encontra no veterano uma opção racional.

Estilo cansado

O Uno merecia receber mais atenção da Fiat. Antes protagonista, o compacto faz figuração na linha de produtos da montadora. O visual é o mesmo desde 2014 e já dá claros sinais de cansaço. Na época, grade frontal e para-choque dianteiro foram redesenhados e as lanternas ganharam acabamento translúcido.

Por dentro, o hatch ganhou um painel mais refinado que lembrava muito o Panda vendido na Itália naquele tempo. O console central, porém, não oferece espaço para uma central multimídia, item que já era cobiçado em 2014 e hoje é praticamente obrigatório nos carros de entrada vendidos no país. No máximo há um rádio com conexão Bluetooth e entradas USB e auxiliar.

O painel de instrumentos, pelo menos, é bonito de se ver, com uma tela de LCD no centro do velocímetro para exibir as informações do computador de bordo. A posição de dirigir não é das melhores (herança de um projeto que já está defasado), mas o espaço interno é adequado para quatro adultos.

Os plásticos utilizados na cabine, aliás, são de boa qualidade. O porta-malas de 280 litros está na média da categoria e surpreende por trazer laterais internas acarpetadas.

Cadê o Firefly?

Marcos Camargo/UOL
Imagem: Marcos Camargo/UOL

Já mencionamos que a estreia da linha de motores Firefly foi uma bola dentro da Fiat há alguns anos. Só que nem todas as versões ganharam a nova motorização 1.0: a configuração de entrada Attractive preserva o veterano Fire Evo 1.0, que entrega 75 cv / 73 cv e 9,9 / 9,5 kgfm.

Derivado do antigo conjunto utilizado no Palio, ele fica devendo muito em relação ao Firefly de 1-litro. Arrancadas e retomadas são decepcionantes, fazendo com que o motorista recorra muito às reduções de marcha para não deixar o Uno perder fôlego.

O câmbio manual de cinco marchas poderia ter engates mais precisos e a direção com assistência hidráulica é um pouco pesada sem a função City que torna o volante mais leve nas manobras.

Ponto positivo para o consumo, que se manteve na média de 9,5 km/l com etanol durante nossa avaliação, que foi realizada na cidade e em condições de trânsito pesado na maior parte do tempo. Os números divulgados pelo Inmetro são de 8 km/l na cidade e 9,4 km/l na estrada com etanol, subindo para 11,6 km/l e 13,4 km/l se o combustível escolhido for a gasolina.

Só o essencial

Marcos Camargo/UOL
Imagem: Marcos Camargo/UOL

Não dá para esperar uma lista de equipamentos tão generosa nos modelos de entrada. E com o Uno Attractive não é diferente: por R$ 44.190, o carro vem de fábrica com ar-condicionado, direção hidráulica, vidros elétricos nas portas dianteiras (o acionamento é feito por manivelas nas portas de trás) e travas elétricas. O carro ainda vem com computador de bordo, faróis com máscara negra e tomada 12 volts.

O veículo avaliado tinha todos os opcionais oferecidos pela Fiat, incluindo pintura metálica (R$ 500) e o kit Pack Connect, que traz rádio AM/FM com conexão Bluetooth e entradas auxiliar e USB (R$ 1.990). Desta maneira, o hatch chega a R$ 46.680.

Curiosamente, a unidade avaliada por UOL Carros tinha um toque de nostalgia, já que a chave não tinha comandos para destravamento das portas. Assim, era preciso abrir ou trancar as portas colocando a chave na própria maçaneta.

Bom negócio?

Marcos Camargo/UOL
Imagem: Marcos Camargo/UOL

O Uno Attractive é uma das opções à venda no mercado por menos de R$ 44 mil. Porém, com um pouco de pesquisa você consegue achar modelos maiores e mais bem equipados por aí custando quase a mesma coisa (ou um pouco a mais), como Renault Sandero, Chevrolet Joy e Ford Ka. Existem ainda os subcompactos, como o Renault Kwid e o Fiat Mobi.

Por isso, se você for fã de carteirinha da Fiat e não precisa de tanto espaço interno, o próprio Mobi pode ser uma boa opção. Caso seja possível pagar um pouco mais vale a pena levar o Argo 1.0, que sai por R$ 48.990.

Seja qual for sua escolha, vale o conselho: pechinche na hora de fechar negócio. As chances de você conseguir um bom desconto são grandes.

Mecânica
  • Motorização

  • 1.0, 8V, 4 cilindros em linha

  • Combustível

  • Etanol / Gasolina

  • Potência (cv)

  • 75 / 73

  • Torque (kgf.m)

  • 9,9 / 9,5

  • Aceleração de 0 a 100 (segundos) (km/h)

  • 13,8

  • Velocidade máxima (km/h)

  • 153

  • Consumo cidade (km/l)

  • 8 / 11,6

  • Consumo estrada (km/l)

  • 9,4 / 13,4

  • Câmbio

  • Manual, 5 marchas

  • Tração

  • Dianteira

  • Direção

  • Hidráulica

  • Suspensão Dianteira

  • Independente, McPherson

  • Suspensão Traseira

  • Eixo de torção

  • Freios Dianteiros

  • Discos sólidos

  • Freios Traseiros

  • Tambor

Pneus e Rodas
  • Pneus

  • 165/70 R13

  • Rodas

  • 13 polegadas

Dimensões
  • Altura (mm)

  • 1480

  • Comprimento (mm)

  • 3820

  • Entre-eixos (mm)

  • 2376

  • Largura (mm)

  • 1636

  • Ocupantes

  • 5

  • Peso (kg)

  • 955

  • Porta-malas (L)

  • 280

  • Tanque (L)

  • 48

Preço das Revisões, Seguro e Garantia
  • 10.000 km

  • R$ 232

  • 20.000 km

  • R$ 480

  • 30.000 km

  • R$ 796

  • 40.000 km

  • R$ 644

  • 50.000 km

  • R$ 452

  • 60.000 km

  • R$ 1.464

  • Seguro

  • R$ 1.359

  • Garantia

  • 3 anos

Equipamentos
  • Airbags Motorista

  • Airbags Passageiro

  • Freios ABS

  • Ar-Condicionado

  • Travas Elétricas

  • Ar Quente

  • Vidros Elétricos Dianteiros