PUBLICIDADE
Topo

Fiat Strada Endurance 1.4 é tão racional que até as calotas são opcionais

José Antonio Leme

Do UOL, em São Paulo (SP)

22/03/2021 04h00

Amada por pequenos e médios empresários e por lojas de entregas, a Fiat Strada cabine simples se tornou um retrato do trabalho de transportar itens desde que chegou às lojas em 1998. A chegada da segunda geração no ano passado trouxe, além de uma nova plataforma, um novo conceito, que a Fiat batizou de cabine plus.

Em termos práticos é uma cabine estendida que tem um vidro atrás dos bancos, com um espaço extra para carregar pequenas cargas como malas ou mochilas. Antes, o estepe que ficava dentro da cabine e roubava espaço foi para a parte inferior da caçamba e é acessado por um sistema que desce o estepe por um cabo de aço.

Sem nenhuma alteração no nível de equipamentos de série nesses nove meses de mercado, ela passou dos R$ 63.590 no lançamento para os atuais R$ 72.126, como versão de entrada o modelo já subiu R$ 8.536 desde seu lançamento em junho de 2020.

Sem muitos equipamentos e cobrando até pelas calotas como opcionais, o que faz da Strada um sucesso para o trabalho? Confira na avaliação de UOL Carros.

Murilo Góes/UOL

Fiat Strada 1.4 Endurance

Preço

R$ 72.126
Carros
3,1 /5
USUÁRIOS
1,2 /5
ENTENDA AS NOTAS DA REDAÇÃO

Pontos Positivos

  • Suspensão resistente
  • Caçamba ampla

Pontos Negativos

  • Posição de dirigir
  • Preço

Veredito

A Strada ainda oferece o melhor conjunto se comparado as rivais, que além de tudo estão desatualizadas. O trunfo que fez dela um modelo amado para o trabalho duro, a suspensão traseira nos mesmos moldes de suspensões de caminhão, continua ali, firme e forte. O sucesso vai perdurar, é inevitável, afinal mesmo na racionalidade da versão de entrada, para quem precisa mais do que qualquer outra coisa da caçamba, ela tem mais que as rivais - vide o controle de tração e estabilidade de série. Choca cobrar até pelas calotas, mas quem quer custo-benefício está pouco preocupado com pequenas questões de melhorias visuais.

Design e espaço interno

Em termos de design, a Strada Endurance aposta no mesmo visual das demais versões da nova geração. É moderno, de acordo com a linguagem visual da Fiat e agrada quem vê a trabalhadora picapinha. Claro, que como uma variante destinada ao trabalho, algumas coisas são diferentes.

Os para-choques não têm pintura, são no plástico cru, bem como a grade dianteira, e a única coisa que se destaca é o nome da versão de trabalho em um adesivo nas laterais na parte inferior das portas.

Por dentro, o modelo é todo revestido de plástico duro, que contrasta com o preço, mas não com a proposta de picape. Os faróis têm o mesmo formato das versões de topo, mas trazem lâmpadas halógenas, inclusive na luz diurna.

Os bancos são confortáveis para longos períodos, coisa que geralmente acontece com um carro de trabalho e atende com um trilho para correr bem amplo, atende bem diferentes motoristas no que diz respeito à distância em relação aos pedais.

Mas a posição de guiar é muito elevada, um defeito já presente na geração anterior. Por isso, motoristas mais altos ficam com a cabeça próxima ao teto, o que é bem incômodo.

O espaço atrás dos bancos, a depender da altura do motorista e passageiro, pode até levar uma mala pequena, mas ele acomoda bem, mesmo, é itens que não ultrapassem, falando de largura, o tamanho de uma mochila.

Motor é o 1.4 flexível  - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Imagem: Murilo Góes/UOL

Consumo e desempenho

Como versão de trabalho o mais importante é custo-benefício, a Fiat apostou na manutenção do antigo motor 1.4 flexível, que já era usado na geração anterior. Ele entrega até 88 cv e 12,5 mkgf quando alimentado com etanol. Com gasolina, os números são menores: 85 cv e 12,4 mkgf.

Associado ao câmbio manual de cinco marchas, esse motor preza antes de tudo pela confiabilidade de um projeto já lapidado pelos anos de uso e que tende a não apresentar problemas crônicos. O desempenho não é lá digno de surpresa. Com a caçamba vazia, o conjunto mecânico tem bom préstimo tanto na cidade quanto na estrada.

Na estrada, para conseguir extrair o melhor rendimento possível, especialmente em retomadas e ultrapassagens, é preciso não deixar o giro do motor cair e sempre "esticar" as marchas, já que a relação é longa para melhorar em termos de consumo o rendimento da Strada. Ainda assim, em quinta marcha, a 120 km/h, o motor gira a cerca de 3.800 rpm, muito acima do esperado para um motor 1.4.

Falando em números, o consumo fica, respectivamente na cidade e na estrada, em 8,3 km/l e 8,8 km/l com etanol e 11,8 km/l e 12,4 km/l se trabalhando com gasolina. Claro, os dados de consumo são conquistados em condições ideais de uso, e usando os 1.354 litros da caçamba ou 720 kg disponíveis os números serão outros.

Um dos grandes destaques da atual geração em todas as versões é o ajuste de suspensão que a Fiat conseguiu estabelecer para a Strada. Sem alterar o conceito de suspensão independente na dianteira e eixo rígido com feixe de molas atrás, melhorou a calibragem, reduzindo o balanço da carroceria nas curvas, mas mantendo a maciez em piso ruim.

Central multimídia e painel TFT são opcionais - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Imagem: Murilo Góes/UOL

Equipamentos

A Strada Endurance é frugal e traz o básico necessário para que um dia de trabalho atrás do volante seja minimamente confortável. Isso representa ar-condicionado, computador de bordo, direção com assistência hidráulica e ajuste só de altura do volante - um defeito que a Fiat não consertou nessa geração, ao deixar de fora o ajuste de distância.

Completa a lista a assistência de partida em rampa, luzes diurnas halógenas, protetor de caçamba e barras de proteção do vidro traseiro.

Para ter um carro mais completo internamente como o da imagem é preciso desembolar uma quantia substancial que faz o valor total superar os R$ 80 mil. O pacote Worker (R$ 2.798) adiciona travas e vidros elétricos, alarme e regulagem de altura do banco do motorista, o pacote Safety (R$ 2.086) completa os airbags dianteiros com os dois laterais.

A central multimídia com integração a Android Auto ou Apple CarPlay, câmera de ré integrada, sensor de estacionamento traseiro, alto-falantes e tela de TFT de 3,5" no painel forma o pacote Tech, que aumenta o valor em R$ 3.612. Se o cliente quiser calotas precisa desembolar R$ 163, pelo protetor de cárter R$ 203, e a capota marítima para proteção da caçamba sai a R$ 814.

Caçamba tem mais de 1.300 litros de capacidade ou 720 kg - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Imagem: Murilo Góes/UOL

Manutenção e segurança

A picape tem preços bem sugestivos de manutenção. As seis primeiras revisões entre 10 mil km e 60 mil km custam um total de R$ 3.924. Da primeira à sexta revisão os valores são de R$ 348, R$ 436, R$ 676, R$ 668, R$ 380, R$ 1.416, respectivamente. Os valores são fixos e as revisões programadas, e estão disponíveis no site da Fiat, na área de serviços.

Em termos de equipamentos de segurança, a Strada Endurance traz o básico, que são dois airbags dianteiros e freios com sistema antitravamento (ABS) com distribuição eletrônica de frenagem, para manter o carro equilibrado, se possível, em situações de emergência. Mas traz ainda os controles de tração e estabilidade integrados, desde a versão de entrada, o que é um bom adicional. Como mostramos em equipamentos é possível contar ainda com airbags laterais como opcionais.

Fiat Strada Endurance Cabine Plus 1.4 - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Mercado

Com todos os itens extras opcionais que mostramos na seção de equipamentos, a Strada Endurance sai a salgados R$ 81.802. Esse valor é suficiente para apostar na versão de cabine dupla Endurance, que parte de R$ 81.792, ou levar a Strada Freedom Cabine Plus, que já tem o motor Firefly 1.3, mais moderno e potente, por R$ 79.757.

Além disso, a rival Chevrolet Montana, que não tem atualização há anos (visto que o visual dela ainda é o do Agile que saiu de linha em 2016), custa na casa de R$ 78 mil sem oferecer muitos extras. A vantagem está na Volkswagen Saveiro Robust, que começa em R$ 62 mil, mas não tem nem o ar-condicionado como item de série nesse caso.

Mecânica
  • Motorização

  • 1.4, 4 cilindros, 8V, flexível

  • Combustível

  • Etanol/Gasolina

  • Potência (cv)

  • 88 / 85 a 5.750 rpm

  • Torque (kgf.m)

  • 12,5 / 12,4 a 3.500 rpm

  • Aceleração de 0 a 100 (segundos) (km/h)

  • 12,3 s (etanol) / 13,4 s (gas.)

  • Velocidade máxima (km/h)

  • 157 km/h (etanol) / 156 km/h (gas.)

  • Consumo cidade (km/l)

  • 8,3 km/l / 8,8 km/l (etanol)

  • Consumo estrada (km/l)

  • 11,8 km/l / 12,4 km/l (gas.)

  • Câmbio

  • Manual, cinco marchas

  • Tração

  • Dianteira

  • Direção

  • Hidráulica

  • Suspensão Dianteira

  • Independente, McPherson

  • Suspensão Traseira

  • Eixo rígido com feixe de molas

  • Freios Dianteiros

  • Disco, ventilado

  • Freios Traseiros

  • Tambor

Pneus e Rodas
  • Pneus

  • 195/65 R15

  • Rodas

  • 15 polegadas

Dimensões
  • Altura (mm)

  • 1.608

  • Comprimento (mm)

  • 4.474

  • Entre-eixos (mm)

  • 2.737

  • Largura (mm)

  • 1.732

  • Ocupantes

  • 2

  • Peso (kg)

  • 1.078 kg

  • Porta-malas (L)

  • 1.354

Preço das Revisões, Seguro e Garantia
  • 10.000 km

  • R$ 348

  • 20.000 km

  • R$ 436

  • 30.000 km

  • R$ 676

  • 40.000 km

  • R$ 668

  • 50.000 km

  • R$ 380

  • 60.000 km

  • R$ 1.416

  • Garantia

  • 3 anos

Equipamentos
  • Airbags Motorista

  • Controle de Estabilidade

  • Controle de Tração

  • Freios ABS

  • Distribuição Eletrônica de Frenagem

  • Ar-Condicionado

  • Ar Quente

  • Volante com Regulagem de Altura

  • Computador de Bordo