Notícias

Estudantes no poder: ONG leva temas escolhidos pelos alunos para debate

BOL

09/05/2019 13h51

Fundada em agosto de 2015 por Cinthia Rodrigues, Tatiana Klix, Luciana Alvares e Luísa Pécora, a ONG Quero na Escola já atendeu 22 mil estudantes em 125 escolas públicas, de 53 cidades em 14 estados do país. Os temas mais pedidos pelos alunos são relacionados a artes (fotografia, grafite, teatro), seguidos por direitos e prevenção (bullying, depressão, feminismo, lgbtfobia), carreiras (medicina, direito, comissário de bordo, etc) e tecnológicos (robótica), entre outros. O Quero na Escola é mantido com apoio da Fundação SM, instituição espanhola com escritório em São Paulo, dedicada ao fomento à educação, que cobre os gastos com funcionários e manutenção.

Comunicar erro

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Folha.com - Brasil
UOL Notícias - Internacional
Folha.com - Equilíbrio
ANSA - Brasil
Folha de S. Paulo - Mercado
UOL Notícias - Internacional
do UOL
Folha de S. Paulo - Mercado
Folha.com - Ilustrada
ANSA - Brasil
Folha.com - Equilíbrio
Thaís Oyama
Folha de S. Paulo - Mercado
UOL Notícias - Cotidiano
UOL Notícias - Cotidiano
TN Online
TN Online
do UOL
Tribuna PR
Folha.com - Ilustrada
Folha.com - Ilustrada
Folha.com - Mundo
Folha de S. Paulo - Mercado
TV Cultura
UOL Notícias - Cotidiano
UOL Notícias - Política
TN Online

TN Online

Quem nasceu hoje: Sabe enfrentar as dificuldades da vida

Quem nasceu hoje Sabe enfrentar as dificuldades da vida como poucos. Deve gastar a energia praticando algum tipo de esporte e atividade ao ar livre. Procure ser objetivo em relação ao seu dinheiro. É companheiro, alegre e inteligente.   Alerta Os nativos de Escorpião passam o dia no alerta e devem ficar atento para não sair do orçamento com gastos em supérfluos. Evite discussões com pessoas do seu círculo de trabalho. No amor, procure ser menos exigente e ciumento.   Áries - A influência do Sol e Mercúrio na sua nona casa fica evidente seu sucesso e soluções de alguns problemas no trabalho. Conquistará de vez o coração da pessoa amada. Ótimo para compras e viagens. C. 133 M. 6085   Touro - O período trás compensações financeiras, mesmo que tenha gasto além dos limites. Terá apoio de sócios, superiores e até da família. Cuide da saúde, inicie regime. Boas notícias do seu amor. C. 801 M. 5270   Gêmeos - Você esta mais agitado e com vontade de realizar novos negócios, compras e até viagens. Oportunidades de melhorar os ganhos, iniciar empreendimentos ou mudar o trabalho. Tente na loteria. C. 066 M. 7654   Câncer - Estará envolvido em assuntos da família. Positivo para compras para o lar e uso pessoal. Negócios e trabalho em fase de tranquilidade. Esperanças renovadas no seu coração. C. 995 M. 8142   Leão - Período que reserva grandes surpresas no trabalho e no amor. Anime-se, pois você é um privilegiado do zodíaco. Grande dinamismo no trabalho e novas oportunidades nos negócios. Tenta na loteria. C. 722 M. 3919   Virgem - Dia propício para resolver alguns problemas da família, encare tudo com otimismo. Continue dando apoio as pessoas com quem trabalha ou negocia, o ideal é paciência. Agitação com seu amor. C. 518 M. 0423   Libra - Você esta livre do alerta e terá que resolver problemas com seu par afetivo. Grande força interior. Desejos atendidos no trabalho e negócios. A família procura sua participação. C. 977 M. 1966   Escorpião - O dia é de alerta, modere os gastos e evite assumir compromissos de negócios. Onda de melancolia trazendo problemas com a família. Modere as críticas no trabalho, seja menos exigente. C. 428 M. 4439   Sagitário - Nesta fase maravilhosa aumentam as chances de realizações no trabalho e vida familiar. Voltam as boas energias para executar mudanças no lar. Cuide da aparência. Ame sem rodeios. C. 305 M. 2851   Capricórnio - Você ainda tem alguns dias para se cuidar, o Sol só estará no seu signo a partir do dia 21. Variações de humor, problemas com sua saúde e dificuldades para resolver problemas financeiros. C. 680 M. 9397   Aquário - A sua habilidade em lidar com todos será posto à prova. Seja maleável no ambiente de trabalho e espalhe alegria. A família precisa da sua ajuda financeira. Adie viagens e mudanças no seu lar. C. 156 M. 0708   Peixes - Você continua recebendo boas energias dos astros e, com certeza pode realizar novos negócios, colabore no trabalho. Dê carinho ao seu amor. Não discuta com Escorpião e Gêmeos. C. 249 M. 8516

do UOL
Folha.com - Mundo
UOL Notícias - Cotidiano
Josias de Souza
Folha de S. Paulo - Mercado
TN Online
ANSA - Brasil
TN Online

TN Online

Dólar recua com exterior positivo, S&P e commodities no foco antes de precatórios

O dólar opera em baixa alinhada à tendência no exterior em meio a apetite por ativos de risco. Os investidores precificam ainda a manutenção da nota de crédito do País em moeda estrangeira pela agência S&P, em BB- com perspectiva estável, a forte alta de commodities e expectativas de leilão de linha de até US$ 1 bilhão no mercado cambial no fim da manhã. Há expectativas ainda pela votação da PEC dos Precatórios no Plenário do Senado, que pode acontecer na tarde desta quarta-feira, após a sabatina de indicado do presidente para a vaga aberta no Supremo Tribunal Federal (STF), André Mendonça. Para conseguir mais apoio à PEC, o governo abriu negociação para limitar o pagamento das despesas com sentenças judiciais até 2026. O texto que foi aprovado na Câmara e que agora será votado pelos senadores determina uma trava até 2036. Parlamentares críticos à PEC admitem votar favoravelmente se essa mudança ocorrer, com a avaliação de redução dos riscos fiscais. Os investidores globais aguardam ainda o depoimento do presidente do Fed, Jerome Powell, no Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Representantes (11h), assim como o Livro Bege (16h). Ontem, Powell afirmou que a inflação persistentemente alta nos EUA é compatível com o fim antecipado do tapering em 2022, o que indica menor liquidez nos mercados. Mais cedo, o IBGE informou que o Índice de Preços ao Produtor (IPP), que inclui preços da indústria extrativa e de transformação, registrou alta de 2,16% em outubro, ante alta de 0,25% em setembro. Também pela manhã, o IPC-S acelerou a 1,08% no fechamento de novembro, após variação de 0,77% em outubro, acima do teto da pesquisa Projeções Broadcast, de 1,04%, com mediana de 0,98% e piso de 0,91%. O indicador acumulou inflação de 9,89% nos 12 meses, também acima da expectativa mais alta do levantamento, que tinha estimativas de 9,70% a 9,84% e mediana de 9,80%. No mercado de divisas emergentes, o destaque é a queda de 1,21% do dólar ante a lira turca por volta das 9h30, que se fortalece após o banco central da Turquia anunciar que fará intervenção no mercado de câmbio, devido à "formação de preços prejudiciais". A autoridade monetária não forneceu maiores detalhes sobre as medidas. A divisa local tem sido penalizada por conta da ingerência do presidente do país, Recep Tayyip Erdogan, no BC, que cortou juros mesmo com a escalada da inflação. Às 9h32, o dólar à vista caía 0,56%, a R$ 5,6038. O dólar futuro de janeiro de 2022 recuava 0,33%, a R$ 5,6390.

ANSA - Brasil
ANSA - Internacional
Paraná Portal
RFI
Rede Tv Jornalismo
TN Online
TN Online

TN Online

Apresentação de 'Carreta Furacão' termina em acidente no PR

Uma família flagrou o momento exato de um acidente na Avenida Cristóvão Colombo, em Marialva, no norte do Paraná. O que chama a atenção, é que a situação aconteceu durante uma apresentação de um grupo semelhante a "Carreta Furacão". O caso foi registrado no último sábado (27).  A turma, também conhecida como "trenzinho da alegria", que conta com personagens infantis, tem o intuito de levar diversão para as pessoas, com danças animadas. Para percorrer as ruas do município, eles utilizam um caminhão adaptado. Eles se agarram no veículo, descem, correm, pulam, dançam e divertem à população. Entretanto, no último sábado, um dos integrantes do grupo foi atropelado ao cruzar a rua inesperadamente. Ele foi atingido por uma motocicleta. Em um registro, é possível notar que o rapaz desce do caminhão, corre para a calçada e dá um 'mortal' se apoiando em um muro. Então, ao realizar a acrobacia, ele sai correndo da calçada e vai para a rua, no momento exato em que uma moto se aproxima. Veja: Apresentação de 'Carreta Furacão' termina em acidente no PR  O motociclista freia o veículo, mas acaba atingindo o personagem. O condutor da moto e a garupa caem na sequência.  Apesar do susto, ninguém se feriu.  Repercussão O vídeo foi divulgado nas redes sociais e dividiu opiniões, pois alguns acreditam que a ação do grupo traz perigo ao trânsito.  "Tremendo erro colocar essa carreta nas cidades com esse pessoal correndo atrás, não vejo graça nisso e é perigoso, ai está o exemplo", disse um internauta, citando o acidente que ocorreu em Marialva.  Já outros apoiam a atitude do trenzinho da alegria, alegando que o grupo tenta apenas trazer diversão em tempos difíceis. "Cada um tenta trazer ao mundo, que está tão aflito, um pouco de alegria e divertimento de alguma forma atrativa", afirma outro internauta. 

Congresso em Foco
ANSA - Brasil
TN Online

TN Online

IPP sobe 2,16% em outubro ante 0,25% em setembro, afirma IBGE

O Índice de Preços ao Produtor (IPP), que inclui preços da indústria extrativa e de transformação, registrou alta de 2,16% em outubro, informou nesta quarta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa de setembro foi revista de uma alta de 0,40% para uma elevação de 0,25%. O IPP mede a evolução dos preços de produtos na "porta da fábrica", sem impostos e fretes, da indústria extrativa e de 23 setores da indústria de transformação. Com o resultado de outubro, o IPP de indústrias de transformação e extrativa acumulou aumento de 26,57% no ano. A taxa acumulada em 12 meses foi de 28,83%. Considerando apenas a indústria extrativa, houve queda de 2,18% em outubro, após o resultado de -16,48% registrado em setembro. Já a indústria de transformação registrou aumento de 2,45% em outubro, ante um desempenho de 1,61% no IPP de setembro. Os preços de bens de capital ficaram 1,72% mais caros na porta de fábrica em outubro, segundo os dados do IPP. O resultado ocorre após os preços terem subido 1,29% em setembro. Os bens intermediários registraram avanço de 2,94% nos preços em outubro, ante uma queda de 0,55% em setembro. Já os preços dos bens de consumo subiram 0,94% em outubro, depois de uma alta de 1,42% em setembro. Dentro dos bens de consumo, os bens duráveis tiveram elevação de 0,93% em outubro, ante alta de 0,55% no mês anterior. Os bens de consumo semiduráveis e não duráveis subiram 0,94% em outubro, após a elevação de 1,59% registrada em setembro. A alta de 2,16% do IPP em outubro teve contribuição de 0,12 ponto porcentual (p.p.) de bens de capital; 1,72 p.p. de bens intermediários; e 0,33 p.p. de bens de consumo, sendo 0,28 p.p. de bens de consumo semi e não duráveis e 0,05 p.p. de bens de consumo duráveis. Atividades A alta nos preços dos produtos industriais na porta de fábrica em outubro foi decorrente de avanços em 22 das 24 atividades pesquisadas pelo IBGE. No acumulado em 12 meses, as pressões inflacionárias ao produtor são puxadas pelos bens intermediários. Em outubro, um destaque foi o alívio na pressão decorrente dos preços dos alimentos. Em outubro, os preços do setor subiram 0,75%, "o menor resultado entre os positivos de 2021, ano que, nos dez primeiros meses, só apresentou uma variação negativa, -0,14%, em junho", segundo o IBGE. "O setor acumula 15,68% de variação positiva de preços, resultado que está 12,78 p.p. abaixo da variação acumulada até outubro de 2020. Na comparação com igual mês do ano anterior, o atual está 17,43% acima, o que é a menor taxa do ano, que vem se reduzindo desde junho, quando foi de 30,96%. Vale dizer que em outubro de 2020, observou-se, na comparação com o mês anterior, a quinta maior variação da série, 4,67%. Naquele mês, os preços haviam variado 35,99%, em relação a outubro de 2019", diz a nota do IBGE. Por outro lado, outro vilão da inflação da pandemia, os preços de refino de petróleo e produtos de álcool, que vêm com altas desde maio, subiram 7,14% em outubro, o terceiro maior resultado no ano (16,68%, em março; 12,12%, em fevereiro). Com isso, o acumulado no ano chegou a 60,38%, a maior observada para o mesmo mês, e a comparação de outubro com outubro de 2020, aponta salto de 72,02%, a quarta maior da série, "sendo que as três maiores são todas de 2021: maio, 106,57%; abril, 91,25%; e junho, 76,68%", informou o IBGE. O órgão destacou ainda os preços de outros produtos químicos: "a indústria química, no mês de outubro, apresentou a segunda maior variação de preços do IPP, 6,38%, acumulando variação de 52,50% no ano e de 54,52% nos últimos 12 meses", diz a nota do instituto. "Os resultados observados estão ligados principalmente aos preços internacionais e à variação de preços de diversas matérias-primas importadas ou não, como, por exemplo, a nafta. Além disso, a demanda da indústria por produtos químicos está aquecida", segue o texto da nota. Por fim, na metalurgia, a variação de preços foi de 2,82% em outubro, a 16ª taxa positiva seguida. "Com este resultado, o setor de metalurgia acumulou uma variação de 45,95% no ano e de 52,10%, nos últimos 12 meses", diz o IBGE.

TN Online
Band Geral
Folha.com - Brasil
TN Online
Congresso em Foco
TN Online
Topo