PUBLICIDADE
Topo

Carnaval de rua em SP depende de situação da pandemia no ano que vem

Carnaval de rua na cidade de São Paulo dependerá de situação da pandemia no ano que vem - Di Campana Foto Coletivo
Carnaval de rua na cidade de São Paulo dependerá de situação da pandemia no ano que vem Imagem: Di Campana Foto Coletivo

Daniel Palomares

Do UOL, em São Paulo

05/10/2021 12h52

Na manhã de hoje, em coletiva de imprensa, os secretários de Subprefeituras, Alexandre Modonezi, de Saúde, Edson Aparecido, de Cultura, Aline Torres e de Direitos Humanos e Cidadania, Claudia Carletto, da cidade de São Paulo anunciaram detalhes sobre o planejamento do carnaval de rua na cidade em 2022.

Apesar dos esforços coletivos e do início da organização da folia para o ano que vem, a realização dos desfiles dos blocos pela cidade dependerá de como o cenário da pandemia estiver traçado em 2022.

A fotografia da pandemia precisa ser analisada no momento que esses fatos vão ocorrer. Estamos com uma média móvel de novos casos nos últimos 14 dias de 562 casos. Em março, o índice era de 6964 novos casos. Nós temos hoje, uma média móvel de 7 dias de 15 óbitos na cidade. No pico da segunda onda, eram 274 óbitos. A única coisa que poderia alterar esse cenário é o surgimento de uma nova variante de preocupação.

Edson Aparecido, secretário municipal de Saúde de São Paulo

"Começamos hoje o planejamento, a realização depende do cenário no ano que vem. Se os índices não forem favoráveis, não autorizaremos o evento", continuou Edson. "Ainda estamos em alerta com os casos de covid-19. Nossa cidade se tornou a capital mundial da vacina. Sonhar requer planejamento. A cultura vai ajudar a cidade a voltar a sorrir e o carnaval vai ser nosso abre-alas", completou Aline Torres, secretária de Cultura.

Programação dos blocos

As inscrições para a realização de blocos do carnaval 2022 na capital paulista serão feitas virtualmente entre os dias 15 de outubro e 5 de novembro. O edital para patrocínio será divulgado no dia 18 de outubro e a publicação oficial dos desfiles pela cidade será revelada no dia 28 de novembro.

Em 2017, a cidade de São Paulo contava com 3,5 milhões de foliões nas ruas durante o carnaval. Em 2020, esse número chegou a 15 milhões de pessoas. Os bairros da Sé, Pinheiros, Lapa e Vila Mariana concentram 60% dos blocos da cidade.

No ano que vem, os grandes desfiles voltarão a acontecer nos tradicionais pontos como a Avenida Tiradentes, a Rua da Consolação e também o Parque do Ibirapuera. A infraestrutura necessária para os grandes blocos incluirá tendas próximas aos postos médicos com psicólogos, assistentes sociais, orientadores socioeducativos e até intérpretes de LIBRAS para ajudar e conscientizar os foliões sobre violência contra a mulher, racismo e LGBTfobia.

Perguntado sobre obrigatoriedade do uso da máscara durante os desfiles e monitoramento das aglomerações no carnaval de rua, o secretário de Saúde, Edson Aparecido, reafirmou que todas as medidas serão avaliadas de acordo com a situação da pandemia no momento da folia, mas se mostrou otimista com os índices da cidade.

"A expectativa é que, até o dia 15 de outubro, 90% da população já tenha tomado a segunda dose. Até o final de outubro, seguramente chegaremos a 100% da população com a segunda dose. A cidade está muito próxima de chegar ao momento de zero óbito", pontuou.

15 milhões de pessoas

Em entrevista ontem, o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, já havia sinalizado que o carnaval da cidade aconteceria em moldes tradicionais se os índices relacionados à covid-19 continuassem em queda. A expectativa, segundo o prefeito, é de que 15 milhões de pessoas participem do carnaval de rua.

Muito provavelmente, teremos carnaval. Isso se continuar com os dados de hoje [da pandemia], com aumento da vacinação e queda do número de óbitos. Te diria que muito possivelmente teremos [carnaval], com exceção se tivermos fato adverso até lá.

Ricardo Nunes, prefeito de São Paulo

Em setembro, a prefeitura já havia dado autorização para o início dos preparativos da folia, mas ressaltou que a realização do evento só seria possível mediante a vacinação de pelo menos 70% da população paulistana. No último fim de semana, dados da prefeitura apontaram que 80% dos adultos da cidade de São Paulo já estão com o esquema vacinal completo.

No Rio

No domingo, em entrevista a O Globo, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, também informou que planeja a realização do carnaval na cidade em 2022 sem medidas de restrição e distanciamento por causa da covid-19.

A única certeza que a gente tem é que estamos vacinando todo mundo e, com todo mundo vacinado, a vida volta ao normal. Quem vai ficar fazendo distanciamento no Carnaval? Fica até ridículo, pedindo um metro de distância. Se tivesse, eu seria o primeiro a desrespeitar.

Eduardo Paes, prefeito do Rio

Em nota, após a entrevista de Paes, a prefeitura do Rio informou que está trabalhando para a realização do carnaval na cidade sem medidas restritivas. "Somente será possível realizá-los desta maneira com a população vacinada e a pandemia de covid-19 controlada", pontuou a nota.