PUBLICIDADE
Topo

Viradouro encerra jejum de 23 anos e é campeã do Carnaval do Rio

Do UOL, em São Paulo

26/02/2020 18h08

A Unidos do Viradouro é a campeã do Carnaval 2020 do Rio. A escola de Niterói, que defendeu o enredo "Viradouro de Alma Lavada", somou 269,6 pontos, que garantiram seu segundo título do Grupo Especial, depois de um jejum de 23 anos. A disputa foi acirrada e emocionante, com Grande Rio e Beija-Flor, decidida apenas no último quesito, harmonia.

A Grande Rio liderou a apuração até o penúltimo quesito, o de evolução, quando perdeu décimos preciosos devido a um problema no carro abre-alas, que abriu um buraco na avenida. A Beija-Flor, que vinha forte na disputa, também acabou perdendo pontos no fim. A agremiação de Niterói acabou se sagrando campeã de virada, levando a melhor sobre a Grande Rio pelo critério de desempate.

Classificação final do Carnaval do Rio - UOL
Classificação final do Carnaval do Rio
Imagem: UOL

Vice-campeã de 2019, a Unidos do Viradouro apresentou este ano uma dupla de novos carnavalescos: Tarcísio Zanon e Marcus Ferreira, que se encarregaram de homenagear as mulheres que lutaram para construir o Brasil. Os dois passaram com louvor no teste de substituir Paulo Barros e manter a escola de Niterói competitiva.

O enredo

Contando a história das ganhadeiras de Itapuã —mulheres negras escravizadas até o final do século 19— e toda a riqueza da cultura negra baiana, a Viradouro fez um desfile empolgante e de visual de impacto. A comissão de frente levou o público ao delírio com uma componente vestida de sereia, que ficava submersa em um tanque d'água.

Outro destaque foi a bateria comandada pelo mestre Ciça, que levantou as arquibancadas com um arsenal de paradinhas ousadas e bem ensaiadas —mostrando que os componentes adentraram a Marquês de Sapucaí com o samba na ponta da língua. A Viradouro saiu da avenida com a sensação de dever cumprido.

O desfile

Na comissão de frente, mulheres interpretaram ganhadeiras, que sobreviviam lavando roupas, e trocaram de roupa durante o desfile. A atleta Anna Giulia Veloso, da seleção brasileira de nado sincronizado, representou uma sereia e ficou um minuto submersa em um tanque com 7 mil litros de água simulando a lagoa do Abaeté, em Itapuã, na Bahia.

O carro abre-alas "Prelúdio das Águas", em referência a uma das canções das ganhadeiras, é o maior da história da Viradouro, com 50 metros de comprimento. O público aprovou: durante as "paradonas" da bateria, setores populares cantaram em alto volume o samba-enredo. A cada alegoria que chegava na Apoteose, os torcedores iam ao delírio.

Veja os melhores momentos do desfile da Viradouro

UOL Entretenimento

A cantora baiana Margareth Menezes, em sua estreia na Sapucaí, representou uma colombina no quarto carro alegórico, "Ciranda de Roda à Beira do Mar Aberto", um dos carros mais lúdicos e luxuosos da escola neste desfile.

A rainha

Completando sete desfiles à frente da agremiação, a rainha de bateria, Raissa Machado, também roubou a cena, com sua fantasia luxuosa adornada por 1.300 penas de faisão sintéticas, obra do estilista Henrique Filho, que homenageou a rainha dos Malês, Luiza Mahin.

Nem tudo foi perfeito

Com um telão de LED em que se lia o slogan "Lute como uma mulher", a última alegoria da escola, que "coroou" as ganhadeiras, entrou na Sapucaí com problemas.

Parte da alegoria caiu e componentes tentaram resolver. Bombeiros seguraram entrada para checar forte cheiro de gás saindo do veículo, mas constataram ser normal da combustão.

Desfile das campeãs

A Viradouro se apresentará novamente na Marquês de Sapucaí no próximo sábado (29), no desfile das campeãs, ao lado de Grande Rio, Mocidade, Beija-Flor Salgueiro e Mangueira, que terminaram no topo da classificação.

As escolas rebaixadas

A União da Ilha e Estácio de Sá foram rebaixadas e desfilarão no Grupo de Acesso do Carnaval do Rio de Janeiro no ano que vem.
A queda da escola da Ilha do Governador, que terminou em último com 264,2 pontos, era esperado, já que o desfile contou problemas graves em alegorias e, principalmente, na evolução. Já a Estácio, que reestreou na elite este ano, terminou em penúltimo, com pontuação de 264,7.

Leia a letra do samba-enredo da Viradouro

Ora yê yê ô oxum! Seu dourado tem axé
Faz o seu quilombo no Abaeté
Quem lava a alma dessa gente veste ouro
É Viradouro! É Viradouro!

Levanta, preta, que o Sol tá na janela
Leva a gamela pro xaréu do pescador
A alforria se conquista com o ganho
E o balaio é do tamanho do suor do seu amor
Mainha, esses velhos areais
Onde nossas ancestrais acordavam as manhãs
Pra luta sentem cheiro de angelim
E a doçura do quindim
Da bica de Itapuã

Camará ganhou a cidade
O erê herdou liberdade
Canto das Marias, baixa do dendê
Chama a freguesia pro batuquejê

São elas, dos anjos e das marés
Crioulas do balangandã, ô iaiá
Ciranda de roda, na beira do mar
Ganhadeira que benze, vai pro terreiro sambar
Nas escadas da fé
É a voz da mulher!

Xangô ilumina a caminhada
A falange está formada
Um coral cheio de amor
Kaô, o axé vem da Bahia
Nessa negra cantoria
Que Maria ensinou

Ó, mãe! Ensaboa, mãe!
Ensaboa, pra depois quarar

Veja a classificação geral do Carnaval 2020 do Rio de Janeiro:

  1. Viradouro (269,6 pontos)
  2. Grande Rio (269,6 pontos)
  3. Mocidade (269,4 pontos)
  4. Beija-Flor (269,4 pontos)
  5. Salgueiro (269 pontos)
  6. Mangueira (268,9 pontos)
  7. Portela (268,8 pontos)
  8. Vila Isabel (268,6 pontos)
  9. Unidos da Tijuca (267,6 pontos)
  10. São Clemente (267 pontos)
  11. Paraíso do Tuiuti (266,2 pontos)
  12. Estácio de Sá (264,7 pontos)
  13. União da Ilha (264,2 pontos)

Rio de Janeiro