PUBLICIDADE
Topo

Marcos Veras defende crítica a Bolsonaro no Carnaval: 'Liberdade'

Marcos Veras falou sobre as críticas - Divulgação
Marcos Veras falou sobre as críticas Imagem: Divulgação

Rafael Godinho

Do UOL, no Rio de Janeiro

25/02/2020 02h29

Marcos Veras, que desfilou à frente do segundo carro da São Clemente, está de total acordo com a abordagem política feita pela agremiação, no desfile da noite desta segunda-feira (24), na Marquês de Sapucaí, no Rio. Após passar pela avenida, ele foi curtir no camarote Folia Tropical, onde falou com o UOL.

A comunidade levou o samba-enredo "O Conto do Vigário", composto, entre outros, por Marcelo Adnet, que estava caracterizado de Jair Bolsonaro, fazendo uma crítica ao atual presidente do Brasil.

A arte é a melhor forma de falar dos assuntos delicados, difíceis de entender, polêmicos. E o Carnaval é a maior festa popular do mundo. Ele pode falar do passado, presente e do futuro. Temos que ter liberdade de expressão sempre"

"Este ano, os enredos estão mais críticos até do que no ano passado. As escolas não tiveram muito dinheiro, mas souberam ter criatividade. Talvez depois deste Carnaval, a gente entenda algumas questões, que lendo notícia de jornal não consegue entender. O humor consegue tocar em lugares difíceis. Você ri, mas depois reflete sobre o tema", completa.

A atriz Totia Meireles compartillha da opinião de Marcos. "Acho que arte é isso. Nós somos politizados por causa disso. Toda manifestação artística é política também. Nada como ter o maior espetáculo da Terra abordando o que estamos vivendo. O Adnet é gênio", elogia.

Apesar de não ser eleitora de Bolsonaro, a atriz torce para que a colega Regina Duarte consiga dar mais visibilidade à Cultura no governo federal.

"Eu rezo para que dê certo. Se ela conseguir melhorar o cenário atual, vai ser muito positivo para gente. Não questiono como ela pensa, mas torço pelos artistas em geral. Acho que por ela ser uma pessoa da classe, tem o que fazer por nós. Não importa se ela é de direita ou esquerda", justifica.

Cláudia Ohana ainda reforçou: "Acho que o desfile reflete o agora. Não tem como ignorar o que estamos vivendo".

CarnaUOL