PUBLICIDADE
Topo

Forte chuva interrompe bloco da Pabllo Vittar uma hora antes do previsto

Carlos Minuano

Colaboração para o UOL

25/02/2020 18h43

Embaixo de uma forte chuva, Bloco da Pabllo, comandado pela cantora Pabllo Vittar, encerrou às 18h, uma hora antes do previsto. No meio de um mar de foliões e sob um céu nublado, a reportagem do UOL seguiu o desfile desde o início.

No começo da tarde, após 20 minutos cantando, Pabllo chamou sua primeira convidada, Kaya Conky. "Quem gosta de funk faz barulho", convidou a cantora de Natal.

O povo se espremia nas cordas e havia seguranças dançando enquanto continham a multidão. Um deles até amarrou o tênis de uma foliona enquanto o bloco andava, e sem parar de dançar ou segurar as cordas.

Vitor Nagai e a amiga Débora Pierini no bloco da Pabllo Vittar, no centro de São Paulo - Carlos Minuano/UOL
Vitor Nagai e a amiga Débora Pierini no bloco da Pabllo Vittar, no centro de São Paulo
Imagem: Carlos Minuano/UOL

Não faltava gente se divertindo, se sacudindo e se beijando, mas a situação não era das melhores para as pessoas com deficiência. Com a mobilidade bem comprometida pela cadeira de rodas, Vitor Nagai, 18, esperava mais atenção da produção do bloco. "Foi difícil entrar e ainda jogaram a gente aqui para o fundo, onde nem consigo ver nada", reclamou o folião.

O jovem era auxiliado pela amiga Débora Pierini, 21, que também estava revoltada com o tratamento recebido. "Ameaçaram até tirar a gente do bloco", contou.

Eliana Gomes, 45, que acompanhava o desfile com o marido, Lucas Carneiro, 27, também teve problemas. "Não queriam nos deixar entrar na área de dentro das cordas do bloco porque estávamos sem pulseira", reclamou Eliana. "E se sair uma confusão aqui seremos os primeiros a ser atingidos", completou Lucas.

Danny Bond, Urias e mais Pabllo

Pouco depois das 16h, foi a vez de Danny Bond subir no palco do Bloco da Pabllo. "Vai comecar a p***ria!", anunciou a cantora de Maceió.

Os looks eram variados: homens, mulheres e trans vestidos como as "Meninas Superpoderosas", com saias coloridas de bailarina e tiaras, pularam e rebolaram até o chão durante todo o desfile.

Por volta das 17h, quem assumiu o trio foi Urias, outra convidada. Após cerca de 30 minutos de tranquilidade, uma confusão dentro da área das cordas tumultuou o desfile. Dois foliões que invadiram o espaço foram retirados à força, de maneira bem truculenta

Pabllo voltou ao palco logo depois, rebolando com vontade e elevando ainda mais a temperatura da última parte do bloco, que já se encaminhava para o encerramento. Entre uma música e outra, a cantora parava para dar uma bronca em quem estava brigando, tumultuando ou roubando.

"Quem roubar o celular das 'manas' eu vou matar! E no meu bloco não admito briga, quem quiser confusão faz que nem gás: vaza", disse.

Do lado de fora das cordas, o empurra-empurra caótico foi do início ao fim. Foliões tentavam a todo custo invadir o espaço e, ao longo do cortejo, houve diversos princípios de briga.

A parte final do desfile aconteceu sob uma forte chuva, que começou a cair por volta das 18h. A musica parou e foliões enloqueceram ainda mais. Muitos eram vistos dançando em cima dos banheiros químicos. Pabllo saiu do palco toda molhada.

Blocos de Rua