PUBLICIDADE
Topo

Valesca Popozuda sobre assédio: 'Posso estar pelada e tem que respeitar'

Valesca Popozuda no camarote Quem/O Globo na Sapucaí - Graça Paes/AgNews
Valesca Popozuda no camarote Quem/O Globo na Sapucaí Imagem: Graça Paes/AgNews

Do UOL, em São Paulo

24/02/2020 10h42

Valesca Popozuda falou sobre feminismo e assédio sexual no Carnaval em entrevista à Quem, enquanto curtia a folia no Camarote Quem O Globo, na Sapucaí, na noite de ontem.

"Todos os dias a gente tem que lutar contra o machismo, o assédio. Eu posso estar de short curto, de peito de fora, pelada e as pessoas têm que respeitar. Meu corpo, minhas regras, e eu faço o que quiser", declarou.

"Quando chega uma data importante as pessoas celebram muito, mas a gente tem que lembrar [do feminismo] todos os dias, porque as mulheres existem todos os dias. Tudo o que a gente quer é respeito", frisou ainda.

Valesca se disse "honrada" de ver como suas músicas e suas declarações públicas influenciaram algumas fãs a se envolver com a briga por direitos das mulheres.

"Eu me sinto muito feliz quando vejo que mulheres dizem que se inspiram em mim e nas minhas músicas. Eu digo sempre nas minhas letras o que muitas não conseguem ou têm vergonha de falar", refletiu.

"A gente tem que colocar a voz no mundo, não podemos ter vergonha do que as pessoas vão pensar", completou.

Rio de Janeiro