PUBLICIDADE
Topo

'Santa Ceciliers' e protestos dão o tom n'A Espetacular Charanga do França

Itaici Brunetti

Colaboração para o UOL, em São Paulo

24/02/2020 11h57

O bloco A Espetacular Charanga do França, realizado no bairro de Santa Cecília, em São Paulo, nesta manhã de Carnaval, teve clima arborizado e também de protesto nas fantasias dos foliões.

Muitas samambaias, costelas de adão, taiobas e diversos tipos de plantas, naturais ou feitas de plástico, decoravam as vestimentas das pessoas que se divertiam entre as ruas Imaculada Conceição e Barão de Tatuí. O clima era de total harmonia e "good vibes".

Vale ressaltar que as plantas, em especial as samambaias, foram apontadas como um dos itens necessários que representam os "Santa Ceciliers". O termo classifica as vestimentas e estilo de vida dos moradores do bairro, segundo reportagem de Universa, do UOL, divulgada no início do ano. Houve também muitas menções a "Bacurau", principalmente com o personagem Lunga - o que foi considerado forma de protesto pelos foliões.

Folião faz seu protesto na Charanga - Itaici Brunetti/UOL
Folião faz seu protesto na Charanga
Imagem: Itaici Brunetti/UOL

A documentarista Juliana, de 38 anos, estava com o corpo repleto de plantas e disse que sua fantasia era uma forma de protesto: "é sobre a Amazônia pegando fogo". Já a massoterapeuta Natália, de 30, que a acompanhava, contou que sua inspiração veio do termo e apelido "a louca das plantas".

"Temos que homenagear a Mãe Natureza e tudo de bom que ela nos oferece", disse a economista Gabriela, de 24 anos, que também ostentava plantas na cabeça e corpo.

A educadora Viviane, de 32 anos, foi curtir a folia vestida de "trepadeira". Segundo ela mesma, foi uma "homenagem à nossa ministra Damares".

Fábio, de 30 anos, analista de TI, usava um enfeite na cabeça escrito "imprecionante", fazendo alusão ao erro de português cometido pelo ministro da Educação Abraham Weintraub.

"O Carnaval também é um momento de liberdade e de protesto contra o que esse governo fascista está fazendo com o nosso país", disse o rapaz que também ostentava um colar com a frase "Livro com muita coisa escrita", reproduzindo uma fala do presidente Jair Bolsonaro.

Bloco das trepadeiras - Itaici Brunetti/UOL
Bloco das trepadeiras
Imagem: Itaici Brunetti/UOL

O professor Renateis Resende, de 28 anos e morador do bairro, carregava uma taioba e contou: "Vim vestido de feira com taioba. Em todos os carnavais eu levo uma taioba que sobe no primeiro dia e só abaixa no último. Dói o braço ficar carregando, mas já virou tradição"

A banda de fanfarra iniciou as atividades pontualmente às 9h como previsto, e fazendo versões carnavalescas de Caetano Veloso, Titãs e outros hits da música nacional.

Pessoas de todas as idades curtiam a festa e cantarolavam as letras das canções, fazendo de A Espetacular Charanga do França um dos blocos mais divertidos e conscientes da capital paulista.

Blocos de Rua