PUBLICIDADE
Topo

De volta ao Grupo Especial, Barroca Zona Sul homenageia líder quilombola

Em 2019, a Barroca Zona Sul participou do Desfile das Campeãs, após ser vice-campeã do Grupo de Acesso - Mariana Pekin/UOL
Em 2019, a Barroca Zona Sul participou do Desfile das Campeãs, após ser vice-campeã do Grupo de Acesso Imagem: Mariana Pekin/UOL

Colaboração para o UOL

Em São Paulo

30/01/2020 11h32

Depois de 15 anos, a Barroca Zona Sul volta ao Grupo Especial do Carnaval de São Paulo. Para este momento especial, a escola resolveu ter como tema a história da líder quilombola Tereza de Benguela com o enredo "Benguela... a Barroca Clama a Ti, Tereza".

Além disso, a agremiação localizada no Jabaquara vai desfilar com sua nova rainha de bateria, a atleta profissional de fisiculturismo Renata Spallicci.

Em busca de seu primeiro título no Grupo Especial, a Barroca, que ficou em segundo lugar no Grupo de Acesso no ano passado, será a primeira a entrar no sambódromo do Anhembi.

De acordo com a programação do Carnaval de São Paulo, a Barroca Zona Sul abre os desfiles na sexta-feira (21 de fevereiro), com início previsto para as 23h15.

SAMBA-ENREDO

Benguela... a Barroca Clama a Ti, Tereza

Compositores: Sukata, Morganti, Jairo Roizen, André Valêncio, Tubino Meiners, Pixulé, Marcos Thiago, Acerola de Angola e Emerson Franco (In memoriam)

LETRA

No caminho do amanhã... Obatalá
É a luz que vem do céu... clareia
Vem de Benguela o clamor de liberdade
Barroca pede tolerância e igualdade

Axé, Tereza
Divina alteza, meu tambor foi te chamar
Sua luz nessa Avenida
Incorpora a chama yabá
Da magia irmanada por Odé
Não sucumbe a fé, traz a luta de Angola
E a corrente arrastou pro sofrimento
Um sentimento, valentia quilombola
Reluz o ouro que brota em seu chão
Desperta ambição, mas há de raiar o dia,
Do Guaporé ser voz de preservação

Em plena floresta... auê auê
Resistência na aldeia... Quariterê
Na mata, sou mestiço, guardião
O meu grito de guerra é por libertação

O nosso canto não é apenas um lamento
A coragem vem da alma de quem ergueu o parlamento
Do castigo na senzala à miséria da favela
O povo não se cala, óh Tereza de Benguela
Vem plantar a paz por essa terra
A emoção que se liberta
E a pele negra faz a gente refletir
Nossa força, nossa luta
De tantas Terezas por aí

💚💗 #ensaio #ontem #émuitahabilidademeupovo

A post shared by Barroca Zona Sul (@barrocazsoficial) on

São Paulo