PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Com enredo inspirado na Bíblia, Mancha Verde aborda os males da humanidade

Viviane Araújo vai para o seu 15º Carnaval como rainha de bateria da Mancha Verde - Mariana Pekin/UOL
Viviane Araújo vai para o seu 15º Carnaval como rainha de bateria da Mancha Verde Imagem: Mariana Pekin/UOL

Colaboração para o UOL

Em São Paulo

29/01/2020 12h09

Campeã do Grupo Especial do Carnaval de São Paulo pela primeira vez no ano passado, a Mancha Verde, fundada em 1995, pretende repetir o feito em 2020. Para isso, a escola escolheu um tema forte: uma reflexão sobre os problemas da humanidade, como guerras, injustiças e preconceitos.

O samba-enredo "Pai! Perdoai, eles não sabem o que fazem", inspirado no versículo 34 da Bíblia, quer mostrar que o verdadeiro sentido da vida é o amor, e não o dinheiro.

Este será o 15º Carnaval em que Viviane Araújo, conhecida como "a rainha das rainhas", reinará à frente da bateria da Mancha.

De acordo com a programação do Carnaval de São Paulo, a Mancha Verde será a quarta escola a desfilar na sexta-feira (21 de fevereiro). A agremiação entra no sambódromo do Anhembi às 2h45 da madrugada de sexta para sábado.

SAMBA-ENREDO

Pai! Perdoai, Eles Não Sabem o que Fazem

Compositores: Marcelo Casa Nossa, Guilherme Cruz, Rodrigo Minuetto, Rodolfo Minuetto e Darlan Alves

LETRA

Oh, senhor! Benditos os que rogam o perdão
Derrame sobre nós a Tua glória
Verás que a dor não foi em vão
No céu, uma linda estrela brilhou
Reluz o Salvador
Eu choro ao ver que o pecado me consome
Sou as duas faces desse homem
Que há de vencer o mal
É preciso lutar, exaltando Penhas e Marias
Que clamam por direitos, igualdade
Essa é a Tua vontade

Em nome do Pai, amém
Justiça e paz aos homens de bem
Deus não criou raça e nos ensinou
Aos olhos não existe cor

Quero me deitar em verdes campos
Ver a natureza florescer
Não ter a maldade como herança
Fazer valer cada amanhecer
É hora de darmos as mãos,
Cumprir a nossa missão
Perdoe se algo te fiz, me abraça e vem ser feliz
Nunca perca a esperança
Sempre é tempo de sonhar
A vida é um sopro divino a se revelar

Só o amor pode curar o mundo
No altar do Carnaval, canto em oração
A Mancha é a voz dos filhos
Teus Olhai por nós, meu Deus

São Paulo