PUBLICIDADE
Topo

Rio de Janeiro

Unidos da Tijuca aposta em volta do campeão Paulo Barros e estreia de Lexa

Cantora Lexa fará sua estreia como rainha de bateria no Grupo Especial pela Tijuca - PAULO TAUIL/BRAZIL NEWS
Cantora Lexa fará sua estreia como rainha de bateria no Grupo Especial pela Tijuca Imagem: PAULO TAUIL/BRAZIL NEWS

Colaboração para o UOL

Em São Paulo

23/01/2020 10h44

A Unidos da Tijuca viveu seu grande momento com o carnavalesco Paulo Barros, quando foi campeã em 2010, 2012 e 2014 sob seu comando. Para o Carnaval deste ano, Barros está de volta à Tijuca, depois de conquistar o vice-campeonato pela Viradouro em 2019.

A cantora Lexa fará sua estreia como rainha de bateria no Grupo Especial pela Tijuca. Ela chegou a ocupar o posto na Unidos de Bangu, do grupo de acesso.

Fundada em 1931, a agremiação vai falar sobre arquitetura e urbanismo. O tema do enredo deste ano é "Onde Moram os Sonhos", de autoria de Dudu Nobre, Totonho, André Diniz, Fadico e Jorge Aragão.

Segundo a escola, o "enredo vai mostrar a incrível capacidade do homem de criar espaços que possam servir de abrigo para diferentes atividades".

"Das edificações da Antiguidade às cidades modernas, cada espaço ensina a cultura de seu tempo. Mas muitos são os desafios. É preciso conservar o patrimônio cultural da humanidade, além de resolver os problemas gerados pelo crescimento desordenado, que se agrava nos centros urbanos", destaca a Unidos da Tijuca, que ficou em sétimo lugar no Carnaval de 2019.

De acordo com a programação do Grupo Especial do Carnaval do Rio de Janeiro, a Unidos da Tijuca desfila na madrugada de segunda-feira (24 de fevereiro) para terça, com previsão de entrada na Sapucaí entre 0h30 e 1h.

SAMBA-ENREDO

Onde Moram os Sonhos

Autores: Dudu Nobre, Totonho, André Diniz, Fadico e Jorge Aragão

Intérprete: Wantuir

LETRA

O sol nasce em minha alma
Vai tomando o peito e ganhando jeito
Se eternizando, traduzido em forma
O mais imperfeito, perfeição se torna
Lá no meu quintal, eu vou fazer um bangalô
Já foi tapera feita em palha e sapê
E uma capela que a candeia alumiou
A lua cheia...

Vem, é lindo o anoitecer
Vai, eu morro de saudade
Todo mundo um dia sonha ter
Seu cantinho na cidade

Como é linda a vista lá do meu Borel
Luzes na colina, meu arranha-céu
Linhas do arquiteto, a vida é construção
Curva-se o concreto, brilha a inspiração

Lágrima desce o morro
Serra que corta a mata
Mata, a pureza no olhar
O rio pede socorro
É terra que o homem maltrata
E meu clamor abraça o Redentor
Pra construir um amanhã melhor
O povo é o alicerce da esperança
O verde beija o mar, a brisa vai soprar
O medo de amar a vida
Paz e alegria vão renascer
Tijuca, faz esse meu sonho acontecer

A minha felicidade mora nesse lugar
Eu sou favela!!!
O samba no compasso é mutirão de amor
Dignidade não é luxo, nem favor

Rio de Janeiro