PUBLICIDADE
Topo

Blocos de rua

Bloco no RJ reúne sereias, tapa-mamilos e protestos contra Crivella e Temer

Elis Bartonelli

Colaboração para o UOL

10/02/2018 20h00

À beira da baía que inspirou seu nome, o bloco Sereias da Guanabara reuniu foliões na Praça Marechal Âncora, no Centro do Rio. A concentração começou às 16h, mas cerca de uma hora antes o público já começava a chegar para prestigiar o bloco. No som, MPB, axé e pop, celebrando a temática “fundo do mar”.

Desfilando pelo segundo ano consecutivo, o bloco convida os foliões para um “mergulho sem opressão”, em defesa da diversidade e do respeito.

"Queremos celebrar a causa LGBT, mas também as causas feministas, do movimento negro. Sobretudo, somos um bloco que preza pelo respeito", explica Jorge Badaue, um dos fundadores e DJ do bloco.

À frente do carro de som - o Sereias não tem banda nem bateria -, a drag queen Aurora chamava atenção com a fantasia de sereia na cor marrom, em referência à poluição da Baía de Guanabara.

"Um bloco que acontece na rua ter uma pessoa montada como referência é incrível. Geralmente, os blocos não colocam drag queens nessa posição. As drags vão de abusadas nos lugares. É muito importante que as drags ocupem todos os espaços, especialmente, os espaços públicos”, comentou Aurora.

Bloco Sereias da Guanabara reuniu foliões no centro do Rio de Janeiro - Marcelo de Jesus/UOL - Marcelo de Jesus/UOL
Imagem: Marcelo de Jesus/UOL

Os amigos Rafael Giovannini, 35, Jhonny Marinho, 24, e Tiago Cellos, 24, confeccionaram suas fantasias de sereia especialmente para o bloco. "Viemos bem ‘sereiudos’, afinal, essa cidade é do mar. Adoramos o clima, nos sentimos acolhidos se seguros. Os blocos héteros têm muito a aprender com blocos da diversidade", avaliam.

Oliver Martins, 34, Alexandre Tenuya, 32, e Bruno Laguetta, 31, também criaram as suas próprias fantasias de sereia, com calça azul de escamas e até adereços de led na sobrancelha.

"Estamos num momento de sair para a rua, mostrar a diversidade e mostrar que o respeito tem que prevalecer. Esse é um bloco que todo mundo se protege, protege as mulheres também", comentou Bruno.

As primas Raphaela Salustriano, 21, e Priscila Salustriano, 26, celebraram a diversidade vestidas de Mulher Maravilha e Super Homem, respectivamente. Usando apenas um adesivo para cobrir os mamilos, Raphaela saiu em defesa da não objetificação do corpo feminino. “Eu sou meu próprio corpo, faço o que eu quero. Só não me toque. Apenas se eu permitir”, protestou.

A curitibana Fernanda Pompermayer, 24, está no Rio para curtir o Carnaval pela terceira vez. Ela compôs sua fantasia de sereia com uma calça verde e um “tapa mamilos”.  "Me sinto à vontade para ficar assim só blocos que defendem a diversidade. Acho que isso choca até as mulheres, algumas ficam ofendidas. Mas mostrar o corpo é um ato de resistência", afirma.

No bloco Sereias da Guanabara, protestos contra Crivella e Temer  - Marcelo de Jesus/UOL - Marcelo de Jesus/UOL
No bloco Sereias da Guanabara, protestos contra Crivella e Temer
Imagem: Marcelo de Jesus/UOL

Além da bandeira da diversidade, o Sereias da Guanabara também trouxe estandartes que pediam a saída do presidente Michel Temer e do prefeito do Rio, Marcelo Crivella.

Entre os foliões, também não faltaram protestos contra o prefeito da cidade. Vestido de freira para afrontar o conservadorismo, Jefferson Silva, 31, não poupou críticas a ele. "Querer determinar horário para o encerramento dos blocos, pedir que as pessoas não bebam... Ele quer que o Rio não seja o Rio!"

Um grupo de amigos também  trouxe suas  críticas às propostas de Crivella. Aos gritos de “abaixa o IPTU”, eles saíram vestido de talão do imposto, em protesto contra o aumento determinado pela prefeitura.

“Com esse protesto, também estamos alinhados com a temática do bloco. Nosso IPTU aumentou em 40%. Lugar de Bispo é na Igreja”, disseram eles.

Apesar da ausência de agentes da Guarda Municipal e do estado, o clima de tranquilidade e segurança foi predominante. A reportagem do UOL também não encontrou nenhum banheiro químico na Praça Marechal Âncora.