Topo

Rio de Janeiro


Carnaval: 4 pessoas seguem internadas após acidentes; 3 em estado grave

Do UOL, em São Paulo

02/03/2017 17h36

A paciente Aline Souza, integrante da Unidos da Tijuca que estava em observação no hospital Souza Aguiar, recebeu alta nesta quarta (1°) e diminuiu para quatro o número de pessoas internadas após os acidentes que feriram mais de 30 pessoas nos desfiles do último fim semana. A informação é da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) do Rio.

Das quatro pessoas hospitalizadas, três estão em estado grave mas estável, todas vítimas do acidente da escola Paraíso do Tuiuti: a radialista Elisabeth Ferreira Jofre, que fraturou a bacia e respira sem a ajuda de aparelhos, Maria de Lurdes Maura Ferreira, que teve fratura exposta na perna, e a fotógrafa Lúcia Regina de Mello Freitas, que também quebrou a perna (no hospital Miguel Couto).

O estado do professor Leonardo Torres (hospital Lourenço Jorge), que sofreu traumatismo no abdômen após despencar com a alegoria da Unidos da Tijuca, é estável e apresenta boa evolução. Todos os pacientes internados até agora estão no CTI (Centro de Tratamento Intensivo).

Dois dias após o encerramento dos desfiles, representantes da Prefeitura do Rio e do Ministério Público, se reuniram nesta quinta (2) com a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) para pedir esclarecimentos sobre os acidentes que deixaram mais de 32 pessoas feridas neste fim de semana e marcou com sangue o Carnaval carioca.

Segundo nota da Procuradoria Geral do Município, a prefeitura também exigiu “a comprovação imediata da adoção de todas as medidas de segurança previamente exigidas pela legislação e órgãos competentes”, além da “assistência prestada às vítimas do acidente”.

Também foi determinado que a Liesa apresente a prévia vistoria e autorização do Corpo de Bombeiros, assim como a autorização dos órgãos técnicos especializados responsáveis pelas Anotações de Responsabilidade Técnica em todas as estruturas montadas para o evento.

Carnaval de acidentes

Nunca a Passarela do Samba tinha sido palco de tantos acidentes. Depois que o carro da Paraíso da Tuiuti perdeu o controle e feriu 20 pessoas, na primeira noite de desfile, a plataforma de um carro da Mocidade Independente de Padre Miguel se soltou da lateral e levou uma integrante que estava sobre ela ao chão. Ela não sofreu ferimentos.

Um carro da União da Ilha também colidiu com o estúdio da Globo e outro, da São Clemente, sofreu um princípio de incêndio. Mais tarde, em outro acidente mais sério, a parte de cima de um carro alegórico da Unidos da Tijuca desabou logo no início do desfile, ferindo cerca de 20 integrantes da escola.

Diante das fatalidades, o Inmetro afirmou que vai agilizar a criação de regras de padronização na construção dos carros alegóricos. A Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) prometeu marcar reunião com os representantes de cada escola para ajustes.