PUBLICIDADE
Topo

A história por trás do vídeo viral da baleia que brinca de buscar uma bola

A baleia Hvaldimir apareceu em águas norueguesas no início de 2019 - Reprodução/Instagram
A baleia Hvaldimir apareceu em águas norueguesas no início de 2019 Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL, em São Paulo

15/10/2020 04h00

O acontecimento não é tão recente assim, mas vez ou outra o registro da baleia branca brincando de buscar uma bola de rugby - exatamente como faria um cachorro - e devolvendo-a para um homem a bordo de um barco volta a circular nas redes sociais. Originalmente postado no Facebook em novembro do ano passado por Alon Kowen, que aproveitou a situação para fazer piada com a vitória da África do Sul sobre a Inglaterra na Copa Mundial de Rugby, o vídeo foi feito nas águas da Noruega.

A beluga whale plays to bring the ball in the middle of the ocean

Publicado por Beautiful Animals em Terça-feira, 13 de outubro de 2020

A reação nas redes sociais foi, como era de se esperar, de choque, mas nas semanas seguintes descobriu-se que o comportamento inusitado da baleia não é tão surpreendente assim considerando sua história. Afinal, essa não era uma baleia branca selvagem jogando bola com seres humanos, mas um animal que provavelmente foi treinado por anos e, especula-se, talvez tenha até feito parte do serviço russo.

Hvaldimir

Em abril de 2019, uma vila de pescadores localizada em uma ilha no extremo norte da Noruega recebeu a inusitada visita de uma enorme baleia branca, que vestia uma espécie de arreio em volta do corpo e perturbava os barcos de pescadores encostando neles e até puxando as cordas que pendiam para o lado de fora das embarcações. Foi apenas com a ajuda de especialistas que trabalhavam com golfinhos e baleias que a população local finalmente conseguiu um indício de onde poderia ter vindo a baleia branca: na corrente presa em seu corpo estava escrito "Equipamento de São Petersburgo".

Bastou isso para que começassem a surgir teorias da conspiração de que a baleia era, na verdade, uma espiã russa foragida de um programa militar. Foi isso, inclusive, que rendeu a ela o nome de "Hvaldimir", a junção da palavra norueguesa "hval", que significa baleia, a "dimir", uma referência ao presidente russo Vladimir Putin.

Até hoje cientistas não conseguiram rastrear sua origem exata, mas a repercussão e até piadas com o assunto ganharam tanto alcance que um coronel russo aposentado, Viktor Baranets, falou à emissora Govorit Moskva negando que Hvaldimir tenha sido parte de qualquer programa secreto dos militares russos. "Se estivéssemos usando este animal para espionar, você realmente acha que anexaríamos um número de telefone celular com a mensagem 'por favor, ligue para este número'?", afirmou em referência às inscrições que o arreio da baleia trazia. O militar também disse na ocasião que já ouviu rumores de que cientistas russos é que treinavam baleias.

Em meio às especulações sobre a origem incerta de Hvaldimir, uma coisa é consenso entre os biólogos e outros especialistas que a acompanham: essa baleia foi definitivamente treinada por humanos e, embora o vídeo em que ela aparece jogando bola seja encantador, essas "habilidades" de animal de estimação em detrimento do comportamento selvagem quase tiraram sua vida.

"A esperança era que Hvaldimir pudesse caçar e permanecer na natureza sem qualquer interação humana"

Quando foi avistada pela primeira vez pelos pescadores noruegueses, a baleia Hvaldimir estava abaixo de seu peso e desnutrida, já que provavelmente não estava conseguindo se alimentar bem no oceano por ter sido criada em cativeiro. Ou seja, o treinamento que a tornou dócil e incentivou sua interação com humanos, foi também responsável por quase matá-la quando se viu sozinha na natureza.

Por isso, a Norwegian Orca Survey, instituição local que luta pela preservação das baleias, autorizou que nos primeiros meses a baleia fosse alimentada pela Fundação Hvaldimir, criada especialmente para prestar cuidados a ela. A ideia, no entanto, é que ela seja gradativamente readaptada à natureza, para que desenvolva a habilidade de se alimentar sozinha e deixe de lado a dependência de humanos.

"O objetivo final e a esperança era que Hvaldimir pudesse caçar e permanecer na natureza sem qualquer interação humana", afirmou a Fundação Hvaldimir em comunicado, informando também que a baleia já dava sinais de que estava aprendendo a caçar.

No entanto, para atingir esse objetivo a fundação pede a colaboração da população local e de turistas para que não incentivem a interação de Hvaldimir com pessoas, respeitando sempre o espaço do animal para que os esforços de cientistas envolvidos no caso não sejam prejudicados.

Por isso, a brincadeira com a bola que rendeu ainda mais fama à baleia branca da Noruega foi considerada imprudente por pesquisadores da área, que desaconselham a interação humana não só com a Hvaldimir, mas com qualquer outro animal selvagem.