PUBLICIDADE
Topo

Bichos

Tudo o que você precisa saber para cuidar do seu pet

Homem salva esquilo para deixá-lo livre, mas o animal se recusa a ir embora

Esquilo foi resgatado com apenas quatro semanas de vida - Reprodução/Instagram
Esquilo foi resgatado com apenas quatro semanas de vida Imagem: Reprodução/Instagram

Colaboração para o UOL, em São Paulo

13/10/2020 15h37

Há pouco mais de dois anos, um homem recebeu o telefonema da melhor amiga de sua esposa dizendo que tinha um filhote de esquilo em casa, recém-salvo da boca de um gato, que estava um pouco ferido. Sem pensar duas vezes, ele e a esposa foram até lá e ao perceberem que o esquilinho estava com dificuldades para se recuperar, decidiram levá-lo para casa.

Conseguiram fazer com que sobrevivesse e, desde então, Petinã, como foi batizado o esquilo que na verdade era uma fêmea, nunca mais os largou.

Na conta do Instagram com mais de 100 mil seguidores, os tutores de Petinã registram os momentos de diversão da família, como os passeios de carro e os treinos físicos diários que realizam com ela.

Em entrevista ao The Dodo, o homem que a resgatou conta que por o esquilo ser um animal selvagem, sempre imaginou que que Petinã eventualmente retornaria à natureza, e por isso começou a treiná-la para ter mais agilidade e se virar sozinha.

Além disso, os esquilos também são reconhecidamente animais agitados, e precisam gastar muita energia para não se sentirem estressados. "Toda manhã, eu tento proporcionar a ela um momento de queima de energia, porque sei que é importante para a saúde dela", explicou o tutor.

Apesar de toda essa preparação para dar à Petinã mais autonomia e dos passeios ao ar livre, o esquilo nunca partiu para a vida selvagem como seu "salvador" pensou que ela faria. "A única razão pela qual eu a salvei foi para que um dia voltasse à natureza e pudesse ser livre e feliz", contou ao The Dodo. Mas ao que parece, o esquilinho parece estar bem feliz vivendo com seus humanos, e não pretende ir embora tão cedo.

"Eu apenas digo 'ok, não vou forçar você a nada'", relata o tutor, e diz que apesar de contar todos os dias com a possibilidade de Petinã deixá-los, ele e a esposa são muito gratos pelos momentos que já viveram até agora e pelo amor que recebem do animalzinho: "A recompensa por tê-la salvado é o amor que ela nos dá de volta".